Banca de QUALIFICAÇÃO: WANLIDIA FERNANDES DE ARAUJO BENEVIDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WANLIDIA FERNANDES DE ARAUJO BENEVIDES
DATA : 23/08/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Google meet
TÍTULO:

Funcionalização hidrofóbica em tecidos de poliéster por Deposição Química de Vapor Auxiliada por Plasma (PECVD) 


PALAVRAS-CHAVES:

PECVD, deposição a plasma, hidrofóbico, oleofílico


PÁGINAS: 75
RESUMO:

O plasma frio, uma mistura ionizada de gases com temperatura próxima à temperatura ambiente, pode ser usado com segurança para tratamentos em superfícies de substratos têxteis. O tratamento com plasma pode modificar as superfícies têxteis, formando estruturas nanométricas superhidrofóbicas que acabam tornando-se materiais autolimpantes. Têxteis de poliéster, apesar de terem caráter hidrofílico, suas fibras apresentam inerentemente certos níveis de hidrofobicidade. Com o objetivo de melhorar ainda mais a repelência de água do substrato têxtil de poliéster, filmes nanométricos ricos em carbonos foram depositados por meio da técnica de Deposição Química de Vapor Auxiliada por Plasma (PECVD) em pequenas amostras de tecido, utilizando Xileno (C8H10) e Acetileno (C2H2) como fonte de vapor e variando o tempo de deposição. Inicialmente as amostras foram tratadas somente com acetileno, com tempos de tratamento determinados em 10, 15 e 20 min. O segundo tratamento foi realizado com acetileno e xileno, com as mesmas variações de tempo (10, 15 e 20 min). Os outros parâmetros como potência, fluxo, temperatura, corrente e tensão foram determinados de acordo com as variações de tempo. Após o tratamento, as amostras foram submetidas a caracterizações e assim, foram avaliadas em diferentes técnicas experimentais, como medições de ângulo de contato com água e com óleo, microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), análise de difração de raios-x (DRX), e análise por espectroscopia RAMAN. Os resultados obtidos indicaram que houve uma polimerização na superfície do tecido criando uma camada ultrafina à base de carbono. Essa camada foi composta por grupos apolares, estes que são responsáveis por atribuir funcionalidades hidrofóbicas às amostras de poliéster, enquanto as mesmas mantiveram a absorção de óleo, mesmo com todas as condições de tratamento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2550377 - THERCIO HENRIQUE DE CARVALHO COSTA
Interna - 2254759 - AMANDA MELISSA DAMIAO LEITE
Interna - 2614274 - MICHELLE CEQUEIRA FEITOR
Notícia cadastrada em: 21/08/2023 08:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao