Banca de QUALIFICAÇÃO: LUANDA KIVIA DE OLIVEIRA RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANDA KIVIA DE OLIVEIRA RODRIGUES
DATA: 14/06/2013
HORA: 15:00
LOCAL: Sala I10 do Setor de Aulas IV - UFRN
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DO ÓLEO DE SOJA TRANSESTERIFICADO COMO BIOLUBRIFICANTE


PALAVRAS-CHAVES:

Óleo de soja, Biolubrificante, Fluido de corte, Transesterificação, Usinagem.


PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

Os lubrificantes encontrados no mercado são de origem mineral ou sintético e agridem ao homem e ao meio ambiente, principalmente, devido ao seu descarte inadequado. Por isso as indústrias estão buscando desenvolver produtos que causem um menor impacto ambiental, por isso, para diminuir a agressão ao operador, principalmente, os Fluidos de Corte passaram a formar uma emulsão óleo/água ou água/óleo. No entanto a emulsão não foi tida como a solução mais adequada para a questão ambiental, portanto a busca por lubrificantes biodegradáveis e que não sejam tóxicos continua e assim os óleos vegetais estão sendo visto, novamente, como base para a produção de lubrificantes. O maior problema desses óleos é sua instabilidade oxidativa que é intensificada ao trabalhar em altas temperaturas. O processo de transesterificação diminui a oxidação, no entanto altera algumas propriedades físico-químicas. Portanto o Óleo de Soja após o processo de transesterificação foi submetidos aos ensaios de densidade, viscosidade dinâmica; cuja viscosidade cinemática foi calculada a partir dos dois parâmetros citados; ponto de fulgor e acidez.  Além dos ensaios físico-químicos o óleo de soja foi submetido a um ensaio dinâmico em um tribometro adaptado de um torno de bancada cujo desgaste induzido foi o adesivo e por último foi usado como fluido de corte em um processo de torneamento em dois materiais distintos, Aço1045 e Ferro Fundido. Esse último ensaio apresentou resultados inferiores ao fluido de corte mineral o qual foi comparado em todos os ensaios, já nos outros ensaios alguns o resultado era satisfatório em outros não de modo que aditivos químicos podem ser adicionados ao óleo analisado para tentar equacionar todos os parâmetros e assim formular um biolubrificante não toxico para aplicar nos processos de usinagem da indústria metal-mecânica.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADELCI MENEZES DE OLIVEIRA - PETROBRAS
Externo ao Programa - 1308273 - EDUARDO LINS DE BARROS NETO
Presidente - 348080 - JOSE UBIRAGI DE LIMA MENDES
Notícia cadastrada em: 12/06/2013 18:34
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao