Banca de DEFESA: CAMILA CRUZ DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA CRUZ DA SILVA
DATA: 10/08/2012
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 94 do Centro de Tecnologia - CT/UFRN
TÍTULO:

INFLUÊNCIA  DA UMIDADE NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS COMPÓSITOS POLIMÉRICOS HÍBRIDOS (SISAL/ VIDRO)


PALAVRAS-CHAVES:

Materiais Compósitos, Fibras de Sisal, Hibridização e Propriedades Mecânica.


PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

A procura de novos materiais que não poluam o meio ambiente é alvo de pesquisas por todo o mundo. Dentro destas pesquisas encontram-se os materiais compósitos reforçados com fibras naturais. Esse tipo de reforço quando comparado ao reforço sintético apresenta baixo custo, baixa densidade, boas propriedades térmicas, uso reduzido de instrumentos para seu processamento, são matérias provenientes de fontes renováveis, ecologicamente corretos, além de desenvolverem as regiões onde são produzidos.  Sendo que um dos grandes problemas ao se utilizar este tipo de reforço é a sua baixa resistência mecânica quando comparado com os reforços sintéticos, como por exemplo, a fibra de vidro.  Diante deste problema surgue dentro dos materiais compósitos os compósitos híbridos que são materiais que possuem dois ou mais tipos de reforços em sua estrutura podendo estes serem ambos sintéticos, naturais ou uma “mistura” dos dois. Diante do contexto acima este trabalho tem como objetivo avaliar as propriedades mecânicas de compósitos de matriz polimérica reforçados com tecidos bidirecionais de sisal (Agave Sisalana,) e fibras de vidro E, contendo estes a seguinte configuração: um compósito híbrido de matriz polimérica (Resina Poliéster Ortoftálica) reforçado com 3 (três) camadas de fibras de vidro e intercalando–as 2 (duas)  camadas de tecido bidirecional de sisal, e por fim um compósito de matriz polimérica reforçado com 5 (cinco) camadas de manta de fibras de vidro do tipo E. Para tanto teve–se como primeira etapa a confecção dos tecidos de sisal, já que estes não se encontram no mercado. Os compósitos foram confeccionados de acordo com o processo de laminação manual (Hand lay-up) e avaliadas as propriedades de tração uniaxial e flexão em três pontos do material tanto em estado seco, como para o material imerso em água destilada e imerso em petróleo e as características macroscópicas e microscópicas dos materiais após a realização dos ensaios mecânicos. Após a realização dos estudos foi comprovado que a fibra de sisal diminui a rigidez do material à tração acima de 50 % para ambas as situações estudadas, a resistência à tração do material diminui em aproximadamente 40% para os casos citados, sendo que quando comparado a resistência e rigidez especificas esses valores caem para 14,6% e 29,02 % respectivamente só para o estado seco. Quando observados as constantes para flexão esses valores passam a serem de aproximadamente 50 % para a resistência e 25% para a rigidez do material para os casos secos, úmido e imerso em petróleo. Em tração a influencia dos fluidos não interferem na rigidez do material parta os laminados o mesmo não ocorre com a resistência, sendo que esses valores são modificados só na rigidez e resistência à flexão.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 5220696 - LUIZ CLAUDIO FERREIRA DA SILVA
Presidente - 1338331 - RAIMUNDO CARLOS SILVERIO FREIRE JUNIOR
Interno - 6346998 - RASIAH LADCHUMANANANDASIVAM
Externo à Instituição - WANDERLEY FERREIRA DE AMORIM JÚNIOR - UFCG
Notícia cadastrada em: 25/07/2012 15:53
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao