Banca de DEFESA: EDUARDO GALVAO RAMALHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDUARDO GALVAO RAMALHO
DATA: 11/10/2011
HORA: 14:00
LOCAL: Sala G3 do Setor de Aulas IV - UFRN
TÍTULO:

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE ESPUMAS CERÂMICAS A BASE DE ALUMINA OBTIDAS PELO MÉTODO DA RÉPLICA


PALAVRAS-CHAVES:

Espuma cerâmica; método da réplica; propriedades mecânicas.


PÁGINAS: 108
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

Cerâmicas com estrutura celular porosa, denominadas espumas cerâmicas, possuem o potencial de utilização em uma vasta gama de aplicações, tais como: isolamento térmico, suporte catalítico, filtros, dentre outras. Dentre as técnicas para obtenção destas cerâmicas porosas podemos destacar o método da réplica. Este método consiste na impregnação de uma esponja (geralmente polimérica) com uma barbotina cerâmica, seguindo-se um tratamento térmico, onde ocorrerá a decomposição do material orgânico e sinterização do material cerâmico, resultando em uma cerâmica cuja estrutura é uma réplica da esponja impregnada. O conhecimento das propriedades mecânicas destas cerâmicas é importante para que estas possam ser utilizadas comercialmente e Gibson e Ashby desenvolveram um modelo matemático para descrever o comportamento mecânico de sólidos celulares. Este modelo não se mostrou satisfatório para descrever o comportamento das cerâmicas obtidas pelo método da réplica, pois o mesmo não leva em consideração os defeitos provenientes deste tipo de processamento. Neste trabalho foram estudadas cerâmicas porosas de alumina obtidas pelo método da réplica e se propôs modificações no modelo de Gibson e Ashby para se adequar a este material. A esponja polimérica utilizada no processamento foi caracterizada através de análise termogravimétrica e microscopia eletrônica de varredura (MEV).  Os materiais obtidos após sinterização foram caracterizados através de testes de resistência mecânica em flexão em 4 pontos e em compressão, densidade e porosidade e por microscopia eletrônica de varredura (MEV). A partir destes resultados avaliou-se o comportamento da resistência mecânica em comparação ao modelo de Gibson e Ashby para sólidos com estrutura celular e foi proposta uma correção deste modelo através de um fator relacionado com o grau de integridade dos filamentos, que considera as trincas presentes na estrutura destes materiais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149564 - WILSON ACCHAR
Externo ao Programa - 2331385 - JAQUELIGIA BRITO DA SILVA
Externo à Instituição - ALAN CHRISTIE DA SILVA DANTAS - UNIVASF
Externo à Instituição - ELIALDO CHIBERIO DA SILVA - IFRN
Externo à Instituição - LEDJANE SILVA BARRETO - UFS
Notícia cadastrada em: 10/10/2011 10:08
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao