Banca de QUALIFICAÇÃO: EDMILSON DANTAS DE LIMA JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDMILSON DANTAS DE LIMA JUNIOR
DATA : 14/12/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 414 do CTEC - UFRN
TÍTULO:

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA DE CORTE NO PROCESSO DE TORNEAMENTO AUXILIADO POR LN2


PALAVRAS-CHAVES:

Usinagem Criogênica; Medição de Temperatura; Termopar ferramenta-peça.


PÁGINAS: 80
RESUMO:

Durante a operação de corte, grande parte da potência consumida se transforma em calor, que acaba se concentrando no gume da ferramenta, causando problemas de natureza técnica e econômica.Para solucionar esse problema, os fluidos de corte são amplamente utilizados como agentes lubri-refrigerantes no processo de usinagem. Entretanto, a grande maioria desses compostos é de origem mineral, sendo extremamente nociva ao meio ambiente e ao operador da máquina. Por esse motivo, a utilização de nitrogênio líquido (LN2) vem se apresentando como uma alternativa aos fluidos convencionais, considerados grandes vilões do chão de fábrica. Vários trabalhos têm mostrado que o uso de LN2 como fluido de corte proporciona, além das vantagens óbvias referentes à sustentabilidade, ótimos resultados em relação à integridade da superfície usinada e à vida da ferramenta de corte. Muitos pesquisadores alegam que estes resultados decorrem da queda da temperatura média de corte em decorrência do alto poder refrigerante do LN2. Contudo, não são encontrados na literatura resultados experimentais que mostrem objetivamente como o LN2 influencia na temperatura de corte. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo medir a temperatura de corte na interface cavaco-ferramenta no processo de torneamento a seco e auxiliado por LN2 pela técnica do termopar ferramenta-peça para fins de comparação. As medições são realizadas a partir do par ferramenta-peça composto por inserto de PCBN usinando aço AISI D6 endurecido. A calibração desse sistema foi feita no próprio equipamento, tanto para temperaturas altas quanto para temperaturas criogênicas. A curva de calibração apresentou uma boa correlação entre os valores de temperatura e de tensão elétrica. Com base nesses resultados, um sistema de aquisição será utilizado para a leitura e o registro do comportamento da temperatura em cada ensaio, sob as diferentes condições de resfriamento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1545410 - ANDERSON CLAYTON ALVES DE MELO
Interno - 1481705 - SALETE MARTINS ALVES
Externo ao Programa - 1647050 - SANDI ITAMAR SCHAFER DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 23/11/2018 14:43
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao