Banca de DEFESA: ROBERTO KLECIUS MENDONCA FERNANDES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROBERTO KLECIUS MENDONCA FERNANDES
DATA : 15/05/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Laboratório de Tribologia – NTI/UFRN
TÍTULO:

AVALIAÇÃO TRIBOLÓGICA DE COMPÓSITOS DE PTFE E REJEITO DE SCHEELITA APLICÁVEIS A MANCAIS SECOS


PALAVRAS-CHAVES:

Mancal, Fretting, PTFE, Rejeito de Scheelita, Compósitos Poliméricos.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

O mancal seco é um elemento estrutural presente na maioria dos sistemas mecânicos das várias indústrias dos setores eletrodomésticos, agropecuários, aeroespacial, aeronáutico e automotivo. Este trabalho dá continuidade a uma linha de pesquisa iniciada no Grupo de Estudos de Tribologia e Integridade Estrutural (GET) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e tem o objetivo de investigar tribologicamente compósitos poliméricos com matriz de politetrafluoretileno (PTFE) e carga de rejeito de scheelita para aplicação em mancais secos, visando reduzir custo e aumentar a vida em serviço destes elementos. O rejeito de scheelita, originário da extração da scheelita utilizada para produção do tungstênio, é um resíduo mineral composto de óxidos, como os de silício, cálcio, alumínio, ferro, magnésio, tungstênio, dentre outros. O rejeito de scheelita foi caracterizado na condição como adquirido, através de análises de MEV e EDS, e peneirado para tamanho de partícula inferior a 45 μm. O PTFE foi analisado por DRX. PTFE e rejeito de scheelita foram misturados mecanicamente, moldados por compressão a quente, num molde projetado envolto por uma resistência elétrica, através de uma prensa hidráulica. Investigou-se o desempenho tribológico dos compósitos submetidos a cargas (1) em movimento linear alternado (reciprocating) e (2) com indentações repetidas. As superfícies novas e ensaiadas foram analisadas por Microscopia de Força Atômica (AFM) no que concerne aos parâmetros de rugosidade periódica e não periódica. Verificou-se que a variação no teor de rejeito de scheelita e a frequência do movimento alternado influenciaram no desempenho tribológico e na resistência do compósito, relacionados ao coeficiente de atrito, à rugosidade, ao desgaste e à indentação. Os compósitos poliméricos desenvolvidos e ensaiados demonstraram se constituir em novos materiais adequados para aplicação de mancais secos, notadamente o compósito com 80% de PTFE e 20% de rejeito de scheelita que, mostrando-se como de melhor desempenho tribológico, apresenta-se como uma alternativa viável e de custo mais baixo que o PTFE puro.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347080 - JOAO TELESFORO NOBREGA DE MEDEIROS
Externo à Instituição - JOSÉ DE ANCHIETA LIMA - IFRN
Externo à Instituição - JULIANA RICARDO DE SOUZA - UFRN
Externo à Instituição - MANOEL FERNANDES DE OLIVEIRA FILHO - IFRN
Externo ao Programa - 2322134 - MOISES VIEIRA DE MELO
Externo à Instituição - ROBERTO SILVA DE SOUZA - IFRN
Notícia cadastrada em: 04/05/2017 17:20
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao