Banca de QUALIFICAÇÃO: CARLOS ROBERTO ROCHA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLOS ROBERTO ROCHA DA SILVA
DATA: 29/09/2015
HORA: 14:30
LOCAL: Laboratório de Máquinas Hidráulicas e Energia Solar - NTI/UFRN
TÍTULO:

OBTENÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE UM COMPÓSITO POLIMÉRICO A PARTIR DOS RESÍDUOS DO MESOCARPO DA EXTRAÇÃO DO ÓLEO DE DENDÊ


PALAVRAS-CHAVES:

Materiais de origem vegetal; compósitos poliméricos, poliéster teraftálica; resíduo; tratamento térmico.


PÁGINAS: 117
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

O interesse em utilizar materiais de origem vegetal, sejam eles resíduos ou não, como carga ou reforço em compósitos poliméricos tem crescido principalmente devido ao apelo ecológico. Apesar de várias utilizações do resíduo do mesocarpo de origem da prensa do dendê já tenham sido estudadas sua utilização em compósitos poliméricos ainda não atraio interesse de pesquisadores. Na região do baixo sul do litoral da Bahia, indústrias de extração e processamento do óleo de dendê ainda não apresentam políticas de aproveitamento deste resíduo que pode apresentar potencial fonte de renda e lucro. Porém, o maior problema na aplicação desses materiais em compósitos poliméricos é a falta de adesão interfacial entre a matriz e a fibra vegetal principalmente pela existência de óleo residual recobrindo sua superfície. Assim, o objetivo principal deste trabalho é apresentar a viabilidade de processamento e utilização como carga dos resíduos proveniente da prensagem do mesocarpo do dendê em compósitos que utilizam resina poliéster teraftálica (escura) como matriz. Avaliou-se também o efeito da limpeza superficial da fibra (resíduo) utilizando o processo de descontaminação pela lavagem com água corrente e imersão em água fervente durante 1 hora. Este desenvolvimento foi realizado em três etapas. Na primeira etapa foi testado o comportamento do resíduo, sem qualquer tratamento, se quando incorporado a matriz poliéster comprometeria no processo de endurecimento da resina devido aos resíduos nele existentes. O segundo passo, foi investigar se o tratamento térmico pretendido causaria significativa interferência na integridade física da fibra vegetal em questão. O terceiro e último passo foi estabelecer a quantidade máxima de resíduo que poderia ser incorporada a matriz polimérica sem comprometer a processabilidade do compósito em questão. O processo de fabricação manual foi utilizado devido sua simplicidade e baixo custo podendo repassado facilmente. Resultados da caracterização mecânicas mostram que os compósitos formulados com resíduo tratado apresentaram melhor desempenho mecânico em relação aos compósitos com resíduos não tratados. Estes resultados puderam ser comprovados pela análise microscópica, onde se observou problemas na região de interface em ambos os compósitos e principalmente nos compósitos adicionados com resíduo não tratado. As demais propriedades físicas, químicas e térmicas analisadas, observou-se a diminuição destas conforme se adiciona resíduo, seja ele tratado ou não tratado, ao compósito. Mesmo diante da interferência negativa de ta adição, o compósito é viável e a utilização do resíduo pode contribuir para diminuir o impacto ambiental causa pelo descarte aleatório ou destina inapropriado do resíduo em questão.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349104 - LUIZ GUILHERME MEIRA DE SOUZA
Externo ao Programa - 3217842 - MARCOS SILVA DE AQUINO
Externo à Instituição - NATANAEYFLE RANDEMBERG GOMES DOS SANTOS - F.M.Nassau
Notícia cadastrada em: 29/09/2015 14:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao