Banca de QUALIFICAÇÃO: ERINÉIA DA SILVA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERINÉIA DA SILVA SANTOS
DATA: 18/06/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 4 da Escola de Ciências e Tecnologia - ECT/UFRN
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO TRIBOLÓGICA DE EMULSÃO O/A A PARTIR DE ÓLEO VEGETAL EPOXIDADO PARA APLICAÇÃO EM FLUIDOS DE CORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Biolubrificantes; fluidos de corte; óleos vegetais.


PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Mecânica
RESUMO:

Os fluidos de corte são lubrificantes usados no processo de usinagem nas indústrias metal- mecânica por apresentarem vários benefícios que variam de acordo com o tipo de operação executada. Estes são largamente utilizados como refrigeradores, como lubrificantes para melhorar o acabamento de superfícies metálicas, reduzir o desgaste de ferramentas e protegê-las contra a corrosão. Considerando as legislações vigentes e a demanda por produtos e processos considerados “verdes”, surge a necessidade de desenvolver fluidos biodegradáveis que não sejam tóxicos, nem agressivos ao meio ambiente e à saúde do operador. Assim os óleos vegetais representam uma solução para esses problemas, pois os óleos vegetais aparecem como uma excelente alternativa para substituição do óleos minerais. Deste modo, este trabalho teve como objetivo obter um fluido de corte emulsionavel a base de óleo vegetal epoxidado, para uma melhor lubrificação e refrigeração no processo de usinagem, que não seja tóxico ao meio ambiente. A metodologia foi dividida em 5 etapas:

Realizou-se a síntese de biolubrificante (óleo de girassol) por reação de epoxidação. Em seguida, fizeram-se analises físico-químicas do biolubrificante para caracterizar os óleos sintetizados, tais como: densidade, acidez, índice de iodo, índice de oxirano, viscosidade, RMN, TG, DSC. Em seguida, foram desenvolvidas emulsões O/A com diferentes concentrações de biolubrificantes (10%, 20% e 25%) e com diferentes concentrações de tensoativo (1%, 2,5% e 5%), e realizados estudos sobre a sua estabilidade. O desempenho tribológico das emulsões O/A foi avaliado pelo equipamento HFRR (High Frequency Reciprocating Rig), que consiste num ensaio de desgaste do tipo esfera-plano. Os resultados demonstraram que os biolubrificantes podem ser sintetizados por reação de epoxidação, com boa conversão, bem como formam emulsões estáveis, permitindo seu uso como fluido de corte emulsionável.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1308273 - EDUARDO LINS DE BARROS NETO
Presidente - 1481705 - SALETE MARTINS ALVES
Externo ao Programa - 1523912 - TATIANA DE CAMPOS BICUDO
Notícia cadastrada em: 02/06/2014 18:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao