Banca de QUALIFICAÇÃO: JOAO BATISTA CARMO JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOAO BATISTA CARMO JUNIOR
DATA: 02/04/2013
HORA: 15:00
LOCAL: Mini auditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:

TÍTULO: ESPAÇOS EXCEPCIONAIS: ACESSIBILIDADE URBANA E SEGREGAÇÃO NA CIDADE DO NATAL-RN.


PALAVRAS-CHAVES:

Acessibilidade urbana. Segregação espacial. Sintaxe Espacial.


PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

Compreender a relação entre o padrão de ocupação das camadas de alta renda (estrutura social) e a acessibilidade da estrutura da malha urbana da cidade do Natal-RN (estrutura espacial), buscando aferir a expressão morfológica do fenômeno da segregação. Na análise da estrutura espacial, utiliza-se a fundamentação teórica e os procedimentos analíticos da teoria da Lógica Social do Espaço. Já a análise da estrutura social basea-se na interlocução de obras de estudiosos do fenômeno da segregação nas cidades brasileiras, sobretudo, os estudos de Villaça (2001). Dados sintáticos - provenientes da Sintaxe Espacial -, territoriais e socioeconômicos - oriundos dos censos realizados pelo IBGE - são inseridos, armazenados e visualizados em Sistemas de Informações Geográficas (SIG).  A sobreposição destes dados possibilita o estudo de correlação entre as estruturas social e espacial. Estudo preliminar (CARMO JÚNIOR, 2010) sobre a estrutura da malha urbana da cidade do Natal-RN aponta para correspondência entre as estruturas social e espacial. Neste caso, as áreas mais acessíveis do sistema são ocupadas pelas camadas de alta renda, enquanto as áreas mais segregadas espacialmente são destinadas à população de baixa renda. Esta correspondência nos mostra que: 1) a forma urbana não é alheia ao processo de segregação; 2) o dinamismo e a vivacidade de determinadas áreas da cidade aliados à concentração de riqueza, contribuem para o sentimento "positivo" em relação à área compreendida nas regiões Leste e Sul da cidade do Natal-RN; 3) Este sentimento "positivo" é acentuado, ainda, pela "ausência" dos bairros, vilas e favelas ocupados por população de baixa renda - muitas vezes próximos fisicamente e, ainda assim, segregados espacialmente, encobertos pela forma urbana. A jução destes fatores elege uma área distinta e privilegiada da cidade a qual denominamos de Espaços Excepcionais - aqueles que concentram ou tendem a concentrar, riqueza e acessibilidade urbana. Afim de testar seu alcance, este estudo será realizado em outras capitais nordestinas: João Pessoa-PB e Recife-PE.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2432718 - ALEXSANDRO FERREIRA CARDOSO DA SILVA
Presidente - 350255 - EDJA BEZERRA FARIA TRIGUEIRO
Externo à Instituição - LUCAS FIGUEIREDO DE MEDEIROS - UFPB
Interno - 350497 - MARCELO BEZERRA DE MELO TINOCO
Externo à Instituição - RÔMULO JOSÉ DA COSTA RIBEIRO - UnB
Notícia cadastrada em: 20/03/2013 15:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao