Banca de QUALIFICAÇÃO: NATÁLIA MELCHUNA MADRUGA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATÁLIA MELCHUNA MADRUGA
DATA : 29/06/2022
HORA: 14:30
LOCAL: Sala virtual [plataforma Meet]
TÍTULO:

NATAL EM PROSA: AS REPRESENTAÇÕES DA SOCIEDADE E DA CIDADE DO NATAL NAS CRÔNICAS DO SÉCULO XX


PALAVRAS-CHAVES:

Representações. História urbana. Literatura. Memórias. Newton Navarro. Augusto Severo Neto


PÁGINAS: 67
RESUMO:

A Crônica é uma narrativa literária curta, em forma de prosa, e que foi muito difundida pelos jornais. Uma das principais características do gênero é que são textos leves, descompromissados e humorados sobre situações cotidianas, e por tratarem dessa temática, as cidades e a sociedade são elementos constantemente encontrados nas narrativas. A possibilidade da utilização de crônicas e outros gêneros literários como fontes para a historiografia urbana é apresentada pela História Cultural Urbana, que ao considerar esses registros representações urbanas, expande as possibilidades de fontes de pesquisa, e consequentemente de interpretações do passado da cidade, visto que nos permite o contato com uma história mais humanizada, contada pelos homens comuns a partir das suas vivências e sensibilidades. Este trabalho tem como objetivo discutir as representações da cidade e da sociedade de Natal, capital do Rio Grande do Norte, no século XX pelas das crônicas de Augusto Severo Neto e Newton Navarro, que foram autores locais que publicaram as suas crônicas em jornais, e nelas contavam suas experiências na cidade a partir das memórias da juventude. As crônicas trabalhadas neste trabalho referem-se à Natal dos anos 1930, 1940, 1950 e 1960 aproximadamente, pois o passado e o presente dos autores se misturam e as datas não estão explícitas nas narrativas. As crônicas memorialistas se apresentam como um documento histórico de locais da cidade, que muitas vezes, não existem mais, ou estão abandonados, ou estão sendo usados de outras formas, sendo assim, esses registros permitem que no presente tenhamos contato com uma cidade de uma época passada, tornando essa memória viva e preservada. Este trabalho tem como principais referências Sandra Pesavento (2012) e seus estudo sobre a história cultural, Antonio Candido (1970) apresentando a análise dialética como a melhor maneira de interpretar criticamente uma obra literária em estudos sociais, e Maurice Halbwachs (1990) para a discussão sobre memória individual, coletiva e histórica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1720813 - GEORGE ALEXANDRE FERREIRA DANTAS
Interna - 350255 - EDJA BEZERRA FARIA TRIGUEIRO
Interna - 2306271 - VERONICA MARIA FERNANDES DE LIMA
Externa à Instituição - CRISTIANE CHECCHIA - UNILA
Notícia cadastrada em: 04/06/2022 12:39
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao