Banca de DEFESA: IRAN LUIZ SEABRA SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : IRAN LUIZ SEABRA SOUZA
DATA : 11/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Sala videoconferência (a ser divulgada)
TÍTULO:

O USO DA PLATAFORMA BIM NO PROCESSO PROJETUAL COLABORATIVO


PALAVRAS-CHAVES:

Building Information Modeling. BIM. Processo Projetual Colaborativo. Competências.


PÁGINAS: 133
RESUMO:

O processo projetual colaborativo auxiliado pelo BIM (Building Information Modeling), de maneira geral, apresenta uma interação entre os projetistas favorecida pelo sistema, sendo cada vez mais popularizado no Brasil. Segundo Kowaltowski et al. (2013), o BIM traz a ideia de uma prática de projeto integrado, desde as primeiras fases de projeto, abrindo a possibilidade dos diversos projetistas envolvidos no processo participarem de forma colaborativa em todas as etapas, compatibilizando os projetos em um único modelo – modelo federado. Em sua maioria, os estudos sobre BIM abrangem conteúdos sobre o seu uso, mas não de maneira colaborativa. Percebe-se assim, a necessidade no avanço sobre o tema, principalmente no que se refere à prática no processo colaborativo com uso dele entre arquitetos e engenheiros, e os respectivos recursos e competências que influenciam. Contudo, encontram-se barreiras culturais, sobretudo na realidade do Nordeste do país, e a demanda por entender esses processos, considerando os recursos disponíveis ou em processo de assimilação pela maioria dos profissionais. Sendo assim, o objetivo geral da pesquisa consiste em identificar recursos de ferramentas BIM e competências que contribuem para a realização de projetos colaborativos entre arquitetos e engenheiros. Já os objetivos específicos são: (i) Compreender o BIM e seus conceitos e definições, evidenciando os métodos de projetação com auxílio da plataforma; (ii) Explorar os conceitos de processos colaborativos, apresentando as categorias de integração dos projetos; (iii) Elaborar modelo de exercício projetual que possa revelar a colaboração com o auxílio de ferramentas BIM; (iv) Aplicar o modelo em formato de atividade prática; e (v) Analisar processo colaborativo entre arquitetos e engenheiros do exercício. Entre os procedimentos metodológicos, técnicas e instrumentos adotados, destaca-se a elaboração de um processo planejado, de modo a obter algum controle, caracterizado como atividade de extensão, onde arquitetos e engenheiros trabalham colaborativamente com uso da plataforma, onde foram coletados os dados necessários. Em seguida, realizou-se a análise de conteúdo, conforme Bardin (2011), dos áudios e videogravações das discussões dos projetistas de cada grupo. Para tanto, o universo de pesquisa compreende os graduandos em Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil, de universidades do estado do Rio Grande do Norte e recém formados nos mesmos cursos. Os resultados mostraram que os recursos mais utilizados foram: a. Prescrever, por apresentar a importância de cada disciplina no projeto; b Prever, já que o conhecimento e as experiencias adquiridas anteriormente são diferenciais no processo; c. Validar, por se tratar de um projeto em conjunto, o que exige constantes aprovações; d. Visualizar, por servir de apoio nas decisões tomadas; e, finalmente, e. Transforma, principal diferencial no processo colaborativo por meio do BIM, por contribuir com a celeridade e com o intercambio transparente entre dos arquivos. Por fim, percebe-se a necessidade em capacitação e avanços no conhecimento da tecnologia, não só na prática – manuseio de ferramentas –, mas também na teoria, tendo em vista que o maior aproveitamento do potencial da plataforma.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2508732 - HEITOR DE ANDRADE SILVA
Interna - 3549781 - BIANCA CARLA DANTAS DE ARAUJO
Externo à Instituição - REGINA COELI RUSCHEL - UNICAMP
Notícia cadastrada em: 11/11/2020 12:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao