Banca de QUALIFICAÇÃO: KARINA HATSUE SHIIKI DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARINA HATSUE SHIIKI DA SILVA
DATA : 30/09/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Miniauditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:

AS COLÔNIAS AGRÍCOLAS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO: Um Estudo Sobre os Núcleos Coloniais Agrícolas com Imigrantes Japoneses e a Formação Urbana de Pium e Punaú/RN


PALAVRAS-CHAVES:

colonização; formação urbana; imigração japonesa.


PÁGINAS: 106
RESUMO:

Esta pesquisa, ainda em desenvolvimento, tem como objetivo investigar a influência dos projetos de colonização movidos pelo Estado e pela Igreja na formação urbana de Pium e Punaú, no Rio Grande do Norte. Tais colônias foram implementadas na segunda metade da década de 1950 em um contexto onde o governo do Estado e a Arquidiocese de Natal, visando desenvolver e expandir a agricultura comercial, solicitaram a vinda de 23 famílias japonesas para ensinar novas técnicas da agricultura a colonos. A colônia de Pium foi uma iniciativa estatal, sendo encabeçada pelo INIC, antecessor do INCRA, enquanto a de Punaú foi uma iniciativa da Fundação Pio XII, da Arquidiocese de Natal. Para realizar esta investigação, temos alguns objetivos específicos: i) Examinar as ações do Estado e da Igreja nos processos de implantação dos dois projetos de colonização; ii) Apreender como se deu a formação urbana de Pium e Punaú e seu desenvolvimento histórico iii) Analisar o grau de influência ou adaptação mútua entre as culturas japonesa e brasileira no intuito de entender os modos de utilização e de apropriação do espaço. O trabalho baseia-se predominantemente nas informações coletadas a partir de entrevistas com os colonos e administradores, visto que, hoje, não há mais registros ou documentos oficiais nos arquivos dos órgãos responsáveis pelos projetos de colonização. Os resultados preliminares demonstram que o desenvolvimento urbano dos locais seguiu caminhos diferentes, visto que, como Punaú foi administrado pela Igreja, recebeu a assistência mais adequada e prosperou, embora tenha estagnado uma vez que deixou de ser colônia para virar distrito. Já Pium, abandonada pelo INIC antes de alcançar a emancipação do núcleo, entrou em declínio e teve o uso do solo modificado pelo crescimento da região metropolitana e das atividades turísticas no litoral sul, atraindo grandes condomínios residenciais, comércio e serviços. Um desenvolvimento, no entanto, não atrelado à antiga colônia. Dois casos similares, implementados com apenas três anos de diferença, mas que obtiveram resultados bastante diferentes quanto à produção do espaço urbano, visto a diferença administrativa e a conexão do território com a totalidade.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 347575 - AMADJA HENRIQUE BORGES
Interna - 350504 - MARIA DULCE PICANÇO BENTES SOBRINHA
Externo à Instituição - PAULO ROBERTO PALHANO SILVA - UFPB
Presidente - 1149450 - RUBENILSON BRAZAO TEIXEIRA
Notícia cadastrada em: 26/09/2019 10:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao