Banca de QUALIFICAÇÃO: GERSICA VASCONCELOS GOES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GERSICA VASCONCELOS GOES
DATA : 03/06/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Sala G4, Setor IV
TÍTULO:

PERCURSOS URBANOS: (RE) CONHECER O PATRIMÔNIO CULTURAL A PARTIR DO CAMINHAR NO CENTRO DA CIDADE DE FORTALEZA


PALAVRAS-CHAVES:

Caminhantes,  caminhabilidade,  roteiros  culturais  de  Fortaleza, percepção do  patrimônio cultural.


PÁGINAS: 233
RESUMO:

O presente trabalho visa analisar a apreensão do patrimônio cultural ainda existente no Centro da cidade de Fortaleza, por participantes de  percursos  realizados  a  partir  de roteiros  estruturados  por  profissionais  (grupos  de  guias  e  professores  dos  cursos  de Arquitetura  e  Urbanismo,  Geografia,  História,  Turismo  e  Psicologia  Ambiental). Acredita-se  que  o  ato de  caminhar permite,  através  da  lógica  do tempo lento, perceber as transformações  e  permanências  existentes  na  forma  urbana  das  cidades.  A  hipótese  do presente  estudo  é  que,  apesar  das  condições  físicas  e  do  descaso  com  os  bens  patrimoniais fortalezenses,  é  possível  identificar  nos  roteiros  definidos  por  percursos  guiados,  que apresentam  as  rugosidades  da  história  da  capital  cearense,  a  contribuição  para  a legibilidade  do  patrimônio  cultural.    A  pesquisa  possui  como  universo  o  bairro  Centro  da capital  cearense,  lugar  tradicional  e  marco  dos  primórdios  da  consolidação  de  Fortaleza como  núcleo  hegemônico  do  Ceará.  Observou-se  em  um  estudo  anterior,  “Um  percurso sobre  o  patrimônio  e  a  morfologia  urbana  do  Centro  de  Fortaleza-CE  (GOES,  2015)”,  que apesar  da  região  estar  marcada  pela  descaracterização  do  seu  patrimônio,  ainda  é  possível traçar  rotas  de  apreensão  da  história  urbana  fortalezense.  Tem-se  como  referencial teórico-metodológico  Margarida  Andrade  (2012),  José  Liberal  de  Castro  (1987)/(1994), Clóvis  Ramiro  Jucá  Neto(1993)/(2012),  Maria  Auxiliadora  Lemenhe  (1991),  José Clewton  do  Nascimento  (2013),  Sebastião  Ponte  (2010),  no  que  diz  respeito  à  formação do  patrimônio  fortalezense.  Gordon  Cullen  (2006),  Maria  Kohlsdorf  (1996),  José  Lamas (2011),  Philippe  Panerai  (2013)/(2014),  Vicente  Del  Rio  (1990),  Aldo  Rossi  (2001)  e Camillo  Sitte  (1992)  como  contribuições  da  forma  e  narrativa  urbana.  Walter  Benjamin (1989), Henry-Pierre  Jeudy  (2010), Paola Jacques  (2012a), José  Clewton do Nascimento (2013)  e  Francesco  Careri  (2013b)  como  referências  para  a  temática  da  apreensão  urbana através  do  caminhar.  Jeff  Speck  (2016)  e  Roberto  Ghidini  (2011)  são  autores  que concedem  uma  abordagem  sobre  a  caminhabilidade,  conceituando-a  e  estabelecendo  os principais  elementos  para  analisar  um  lugar.  Zulmira  Bomfim(2003),  Gleice  Elali  et  al. (2011), Jan Gehl  (2013a), Kevin  Lynch  (2006)  e  Denise  Jodelet  (2002)  na  construção do referencial  da  percepção  do  espaço.  As  discussões  quanto  ao  turismo  cultural  e  a proposição  de  roteiros  significativos  para  os  participantes  foram  fundamentadas  apoiadas pelos  escritos  de  Flavia  Costa  (2006),  Herminia  Vargas  e  Ricardo  Paiva  (2016).  Françoise Choay  (2006),  Leonardo  Castriota  (2009),  Flávio  Carsalade  (2014),  Marcia  Sant´anna (2004), Salvador  Muñoz  Viñas  (2005), Natalia Vieira  (2008), pela  inserção  no estudo  do patrimônio,  dentre  outros  autores,  que  fornecem  subsídios  para  aprofundar  a  questão  da preservação  e  da  compreensão  de  áreas  de  valor  patrimonial.    O estudo está embasado em pesquisas bibliográficas, documental e principalmente na pesquisa de campo, fundamental para o entendimento da percepção patrimonial da área central da cidade.  A pesquisadora acompanhou alguns percursos organizados por professores e guias históricos, com enfoque na apreensão da história da cidade, e constatou a importância da atividade para o reconhecimento do patrimônio cultural.  Entretanto, observou-se que eles tinham um caráter essencialmente informativo, contribuindo pouco para a criação de narrativas com o lugar.  Por fim, é apresentada uma proposta de percurso que almeja a possibilidade de construir vínculos entre os participantes com a história da cidade, concedendo um panorama de preensão das rugosidades existentes no Centro da  cidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1345114 - JOSE CLEWTON DO NASCIMENTO
Interno - 1720813 - GEORGE ALEXANDRE FERREIRA DANTAS
Interna - 783.827.344-72 - NATALIA MIRANDA VIEIRA DE ARAUJO - UFPE
Externa à Instituição - BERENICE ABREU DE CASTRO NEVES - UECE
Externo à Instituição - EMANUEL RAMOS CAVALCANTI
Notícia cadastrada em: 08/05/2019 16:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao