Banca de QUALIFICAÇÃO: ANNA CRISTINA ANDRADE FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANNA CRISTINA ANDRADE FERREIRA
DATA : 20/02/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Miniauditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:

CASA SEM PESSOAS PARA PESSOAS SEM CASA: REABILITAÇÃO DE ÁREAS HISTÓRICAS ATRAVÉS DO USO HABITACIONAL: UMA UTOPIA?


PALAVRAS-CHAVES:

Habitação; Áreas Históricas; Reabilitação; Habitabilidade; Varadouro.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

O ato de habitar se relaciona com o sentimento de pertencimento que o indivíduo desenvolve em relação ao local que habita, sendo o tempo um fator primordial nesse processo. Grupos que ocupam o espaço por um longo período, tenderão a encará-lo como seu, aplicando ali sua cultura, seu modo de viver e de construir. Quando falamos em projetos de reabilitação de áreas históricas, sobretudo as que se encontram degradadas, podemos prever uma gama de usos que podem ser inseridos, mantidos ou restabelecidos nesses espaços, e dentre todos eles o que mais tem suscitado discussões é o uso habitacional. É fato conhecido que as áreas antigas possuem um estoque construído datado de épocas diversas e nem sempre adaptáveis às necessidades da sociedade atual, o que faz com que, boa parte dos projetos, proponham a instalações de equipamentos culturais voltados para o turismo, ou a implementação do uso habitacional, e os comércios e serviços de suporte. Assim, a adaptação dessas edificações para fins de moradia ajuda a sanar dois problemas urbanos recorrentes: a inserção de usos adequado às edificaçoes e a diminuição no déficit de moradia. Mas para quem se destinam essas moradias? Pois outra questão recorrente no Brasil tem sido a remoção de moradores dessas áreas, quando a ocupação se configuram como comunidades de baixa renda, independentemente do tempo de ocupação, e quase sempre deslocando-os para longe de sua área de origem, buscando resguardar o valor econômico do lugar. Assim, aqui se busca entender o papel da sociedade nas ações de recuperação de áreas históricas, e para que tipo de habitante ela se volta, discutindo os limites e potencialidades das políticas de preservação cultural. Para implementação desta pesquisa foi preciso discutir e questionar a relação entre habitação e reabilitação urbana, a partir do conhecimento das posturas adotadas no Brasil, visando entender as ações realizadas pelas políticas públicas de habitação, e como essa questão é abordada em relação às áreas históricas, e à população residente, sobretudo quando se trata de população de baixa renda. Para um melhor entendimento, foram analisados os projetos implementados em Recife/PE, Salvador/BA e Olinda/PE, e o estudo da situação atual do bairro do Varadouro, em João Pessoa/PB, onde o projeto de reabilitação ainda não foi implantado. Para além de uma melhoria da infraestrutura urbana, é preciso garantir condições de habitabilidade às áreas antigas, respeitando as identidades construídas, e pensando projetos que possam ir além da exploração econômica, seja pelo turismo ou por medidas gentrificadoras, só assim é possível presumir a sustentabilidade dessas áreas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1345114 - JOSE CLEWTON DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - LEONARDO BARCI CASTRIOTA - UFMG
Externo à Instituição - MARIA BERTHILDE DE BARROS LIMA E MOURA FILHA - UFPB
Presidente - 783.827.344-72 - NATALIA MIRANDA VIEIRA DE ARAUJO - UFPE
Interno - 350489 - RUTH MARIA DA COSTA ATAIDE

Notícia cadastrada em: 01/02/2017 13:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao