Banca de DEFESA: LUCY DONEGAN

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCY DONEGAN
DATA: 04/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Miniauditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:

Qual é a sua praia? Arquitetura e Sociedade em praias de Natal-RN. 


PALAVRAS-CHAVES:

Arquitetura, Sociedade, vitalidade urbana, praias, Natal.


PÁGINAS: 299
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

Esta tese discute nexos entre arquitetura e sociedade em espaços públicos; especificamente em três praias urbanas de Natal-RN. Malgrado serem importantes espaços públicos de socialização e lazer em cidades brasileiras, as razões de escolha de grupos por certas praias são distintas – situação antagônica à mítica de serem arenas universalmente acessíveis, “democráticas”. Nossos estudos de caso em Natal, apesar de terem traços em comum – paisagens atraentes, com transporte público, estruturas de lazer e intensamente utilizadas – são descritas de modos contrastantes: a Redinha como remota e popular, a Praia do Meio como “decadente,” e Ponta Negra da classe média e turista. Entende-se que espaços públicos são bens essenciais de sociedades urbanas, e que a forma do espaço pode ajudar a unir ou apartar pessoas, favorecendo níveis distintos de vitalidade urbana, entendida aqui como cenários onde pessoas diversas convivem de maneira pacífica, e estabelecem vínculos com a área. Atributos arquitetônicos são investigados – de per si e em perspectiva comparada entre as praias – que foram referenciados na literatura como facilitadores da vitalidade urbana. A arquitetura é entendida como configuração espacial (o vazio) e conjunto construído (o cheio). Em cada praia, a estrutura do espaço, enquanto um sistema de limites e permeabilidades, é composta por diferentes rotas entre, ou para, lugares – mais locais ou mais abrangentes – que ora confluem, ora se dissociam, juntando ou separando fluxos. Isto gera padrões de movimento que caracterizam distintos conjuntos construídos e práticas sociais em cada praia, os quais influenciam também em costumes e visões. Deste modo, a forma na Redinha e na Praia do Meio acentua clivagens, ao passo que em Ponta Negra, minimiza separações, já que sua malha urbana se conecta melhor ao entorno. No geral, achados reforçam uma conhecida polaridade, entre menos e mais favorecidos economicamente; assim, limitadas vitalidades urbanas são expressas por arquiteturas que mais das vezes separam, cada qual na sua praia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350255 - EDJA BEZERRA FARIA TRIGUEIRO
Externo à Instituição - FREDERICO ROSA BORGES DE HOLANDA - UnB
Interno - 1149643 - GLEICE VIRGINIA MEDEIROS DE AZAMBUJA ELALI
Interno - 1345114 - JOSE CLEWTON DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - LUCAS FIGUEIREDO DE MEDEIROS - UFPB

Notícia cadastrada em: 22/01/2016 15:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao