Banca de QUALIFICAÇÃO: LEONARDO JORGE BRASIL DE FREITAS CUNHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEONARDO JORGE BRASIL DE FREITAS CUNHA
DATA: 05/08/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Miniauditório do PPGAU/UFRN
TÍTULO:
COMPARTIMENTAÇÃO SELETIVA EM EDIFICAÇÕES UNIVERSITÁRIAS:
Simulação computacional como instrumento de avaliação com base no desempenho.

PALAVRAS-CHAVES:

Segurança Contra Incêndio em Edificações [SCIE]; Compartimentação; Simulação computacional.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

O presente trabalho apresenta os resultados da pesquisa a respeito do desempenho da compartimentação horizontal seletiva na promoção da Segurança Contra Incêndio em Edificações – SCIE. A compartimentação horizontal, que trata da subdivisão de um pavimento em ‘células’ capazes de confinar o incêndio em seu local de origem, é fortemente influenciada pelas definições dos ambientes em planta-baixa. A compartimentação, diferentemente do controle da carga de incêndio ou da quantidade de usuários, é uma medida de proteção passiva de elevado controle por parte do arquiteto e que costuma ser definida logo nas primeiras fases do processo projetual. Por outro lado, a experiência mostra que no meio acadêmico ocorre, com alguma frequência, a reconfiguração dos ambientes ao longo da vida útil da edificação, objetivando ajustá-la à nova demanda por espaços. Desta maneira, ambientes inicialmente concebidos como amplas salas de aula podem se tornar, por exemplo, duas ou mais salas de aula menores, laboratórios, salas de professores, bases de pesquisa, dentre outros usos surgentes. Independentemente do momento em que ocorra a subdivisão dos ambientes, seja na fase de projeto ou ao longo da ocupação da edificação, as normas só consideram o ambiente compartimentado de fato, quando são empregados os elementos classificados como corta-fogo, cujo Tempo Requerido de Resistencia ao Fogo - TRRF é sempre superior à 30 minutos. Considerando que fração significativa dos óbitos ocorre por sufocamento nos minutos iniciais de um incêndio, torna-se apropriado o estudo do desempenho de uma forma de compartimentação capaz de conter as chamas e o calor no recinto de origem, porém com exaustão da fumaça e gases aquecidos. Acredita-se que elementos ignorados pelas prescrições normativas, oportunamente denominados neste trabalho como compartimentação seletiva, podem apresentar desempenho significativo de SCIE por favorecer a salvaguarda a vida humana. Utilizou-se a simulação computacional para testar, a partir de um modelo representativo de um ambiente acadêmico, o desempenho de elementos de compartimentação seletiva em um modelo representativo de uma edificação acadêmica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1694892 - EDNA MOURA PINTO
Interno - 1804939 - SOLANGE VIRGINIA GALARCA GOULART
Externo à Instituição - VALDIR PIGNATTA E SILVA - USP
Notícia cadastrada em: 23/06/2015 18:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao