Banca de QUALIFICAÇÃO: LUIZA MARIA MEDEIROS DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUIZA MARIA MEDEIROS DE LIMA
DATA: 14/04/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala do HCurb CT/UFRN
TÍTULO:

A cidade e a moradia sob o olhar das instituições de previdência: promoção, financiamento e avaliação (Natal, 1938-1964)


PALAVRAS-CHAVES:

História da política habitacional; Instituto de Aposentadoria e Pensão; avaliação de imóveis.


PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

A intervenção das Caixas e Institutos de Aposentadoria e Pensões no parque habitacional natalense, entre os anos 1930 e 1960, compreendeu a construção de vilas e conjuntos, compra de pequenos grupos residenciais e liberação de crédito imobiliário para aquisição e, em menor proporção, construção/reforma de unidades individuais – inversões que dinamizaram o mercado privado de habitações, num momento importante no processo de expansão urbana e produção capitalista da cidade. Para efetivá-las, as Carteiras Prediais locais – diretamente vinculadas aos Escritórios Centrais daquelas autarquias –, demandaram a elaboração de avaliações imobiliárias, procedidas por profissionais credenciados, para orientar os investimentos. Objetiva-se entender a operacionalização dessas ações no processo de ocupação do espaço urbano na capital potiguar e na conformação das moradias disponibilizadas aos “trabalhadores” à época, destacando as visões da cidade e de seus edifícios constantes nas avaliações. Como fontes primárias, utilizou-se os processos prediais das CAP e IAP arquivados no INSS-RN – registrados no Banco de Dados Empreendimentos –, jornais da época, entrevistas e levantamento fotográfico in loco. Reconhecidos como espaços privilegiados para discussão e experimentação de novas soluções de moradia no país, as instituições previdenciárias propuseram, em Natal, a construção de empreendimentos de pequeno porte que, em parte, incorporaram elementos de suas “concepções de habitação”, como racionalização e padronização dos projetos, produção seriada, diversidade tipológica/arquitetônica, incorporação de equipamentos e espaços públicos e blocos de residência coletiva. Paralelamente, promoveram a compra de vilas e financiaram a aquisição de imóveis individuais, muitas vezes de qualidade arquitetônica inferior encontradas no mercado, que se destinaram aos associados de baixos salários (industriários), sobretudo, no contexto pós-guerra. As moradias situavam-se em áreas consolidadas ou em processo de adensamento: Alecrim, Cidade Alta, Petrópolis e Tirol. A crescente diferenciação social e “elitização” desses bairros – ou setores deles – ficaram marcados nos laudos, que traduziam as condições de habitabilidade dessas localidades, extrapolando seus limites oficiais ao incorporar melhorias gerais acessíveis da cidade. Além disso, as avaliações e a perspectiva de compra induziram a valores desiguais entre os imóveis na cidade. Os engenheiros vinculados atuavam em vários ramos da prática profissional, desde a administração municipal a empresas de construção, órgãos estaduais/federais de saneamento e, sobretudo, de transportes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347654 - ANGELA LUCIA DE ARAUJO FERREIRA
Interno - 1720813 - GEORGE ALEXANDRE FERREIRA DANTAS
Externo à Instituição - WANI FERNANDES PEREIRA - UFRN
Notícia cadastrada em: 30/03/2015 14:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao