Banca de QUALIFICAÇÃO: LAIZE FERNANDES DE ASEVEDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAIZE FERNANDES DE ASEVEDO
DATA: 17/03/2014
HORA: 09:30
LOCAL: Mini Auditório do PPGAU
TÍTULO:

REPRESENTAÇÕES ARQUITETÔNICAS NA CONCEPÇÃO PROJETUAL: um estudo com arquitetos e urbanistas do Rio Grande do Norte.


PALAVRAS-CHAVES:

Representações arquitetônicas; Concepção projetual; Meio Profissional.


PÁGINAS: 102
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO:

O arquiteto materializa suas ideias em formato de representações arquitetônicas, que assumem funções distintas no decorrer da produção projetual; ora serve como instrumento de expressão das ideias de criação, ora, de comunicação entre o projetista e a clientela, e ora, de descrição do projeto para sua execução (DURAND, 2003). Neste trabalho discute-se a relação entre as representações arquitetônicas e o processo de concepção projetual em contexto profissional, tendo como foco a função que a representação assume como auxílio à concepção. O objetivo geral consiste em analisar o papel das representações arquitetônicas no processo de concepção do projeto a partir da identificação dos modos de apropriação de seus tipos e recursos. A metodologia é composta, por um lado, pela pesquisa de cunho teórico e conceitual acerca das representações arquitetônicas, do processo de concepção projetual, e da relação entre estas duas variáveis; e, por outro, pela pesquisa empírica de caráter qualitativo, tendo uma etapa indireta, com aplicação de formulários eletrônicos, e uma etapa direta, com realização de estudos de caso. Até o presente momento, os resultados da pesquisa aplicada indiretamente demonstraram que a grande maioria dos profissionais acredita que a maneira como utiliza os tipos e recursos de representação pode interferir no modo de concepção do projeto arquitetônico; no entanto, esta interferência pode ocorrer tanto positivamente, no sentido de otimizar ou facilitar a tomada de decisões, quanto negativamente, à medida que restringe ou limita as opções projetuais. Em relação à maneira como utilizam os recursos de representação na concepção, os arquitetos, predominantemente, alegaram que alternam o uso entre recursos manuais e digitais, bi e tridimensionais. A próxima etapa da pesquisa, que consiste na realização dos estudos de caso, possibilitará o aprofundamento desta investigação, identificando os possíveis desdobramentos do uso dos tipos e recursos de representação arquitetônica no modo de concepção projetual.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 3549781 - BIANCA CARLA DANTAS DE ARAUJO
Presidente - 1298938 - MAISA FERNANDES DUTRA VELOSO
Externo à Instituição - WILSON FLORIO - UPM
Notícia cadastrada em: 12/02/2014 18:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao