Banca de DEFESA: ADRIANNE GUSMÃO CAMARA BRASILEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADRIANNE GUSMÃO CAMARA BRASILEIRO
DATA : 23/09/2022
HORA: 14:00
LOCAL: REMOTO VIA GOOGLE MEET
TÍTULO:

CICLO DE MELHORIA PARA AUMENTAR ADESÃO AO PROTOCOLO DE PREVENÇÃO DE QUEDA DO PACIENTE EM UNIDADE CIRÚRGICA DE UM HOSPITAL PÚBLICO


PALAVRAS-CHAVES:

Acidente por Queda. Segurança do Paciente. Melhoria de Qualidade 


PÁGINAS: 51
RESUMO:

Introdução: o incidente queda em paciente internado requer uma atenção por parte dos profissionais de saúde, já que a capacidade de agravamento do quadro clínico pode resultar em óbito. Quando são adotadas medidas de prevenção e monitoramento esse risco é minimizado, assim este estudo tem como base as práticas de segurança no contexto hospitalar. Objetivo: realizar um ciclo de melhoria para aumentar um indicador de prevenção de queda na unidade de clínica cirúrgica em um hospital público de Pernambuco/Brasil. Metodologia: Baseado em um ciclo de melhoria da qualidade foi desenvolvido um estudo quantitativo do tipo quase experimental, antes e depois, sem grupo controle e realizado no biênio 2021/2022 seguindo as diretrizes Standards for Quality Improvement Reporting Excellence 2.0 (SQUIRE). Para a avaliação proposta foi definido um critério de qualidade relacionados às causas de não adesão ao Protocolo de Prevenção de Queda do paciente em unidade cirúrgica de um hospital público. As intervenções foram planejadas e implementadas de forma participativa e multifacetada, baseadas em dados e com o objetivo de aumentar a adesão da equipe de saúde ao Protocolo de Prevenção de Queda relacionada aos critérios de qualidade. Foram preservados os preceitos éticos das Resoluções Nº466/12, 510/16. Resultados: A avaliação inicial mostrou 76% de não conformidade quanto ao preenchimento da Escala de Morse e avaliação do risco de queda pelos enfermeiros da clínica cirúrgica e que a mediana das mensurações mensais da taxa de quedas era de 0 %. Após a intervenção, a reavaliação demonstrou que houve 36% de não conformidade quanto ao preenchimento da Escala de Morse dos pacientes admitidos nesse setor, representando uma redução de 40% em não conformidade quanto ao preenchimento da Escala de Morse. A mediana da taxa de quedas deslocou-se para 0,35% e em seguida para 0,08%, onde se manteve desde então. Conclusão: Infere-se que o ciclo de melhoria realizado neste estudo representa uma ferramenta valiosa para intensificar a gestão da qualidade, pois contribuiu para uma melhoria relativa de 40% de conformidade quanto ao preenchimento da Escala de Morse e avaliação do risco de queda pelos enfermeiros da clínica cirúrgica. A partir dos resultados alcançados a instituição pode disseminar importantes contribuições para os demais hospitais da rede de saúde pública ao demonstrar as intervenções planejadas com o auxílio das ferramentas da qualidade, podendo identificar de forma mais precisa as oportunidades de melhoria, aumentando a chance de sucesso na resolução dos problemas de qualidade encontrados e favorecendo melhoria da assistência ao paciente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 9350807 - ELIANE SANTOS CAVALCANTE
Interna - 2262871 - ANA ELZA OLIVEIRA DE MENDONCA
Interna - ***.321.701-** - VIVIANE PEIXOTO DOS SANTOS PENNAFORT - UECE
Externa à Instituição - VERBENA SANTOS ARAÚJO - UFPB
Notícia cadastrada em: 13/09/2022 14:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao