Banca de DEFESA: LEORIK PEREIRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEORIK PEREIRA DA SILVA
DATA : 22/11/2019
HORA: 14:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA
TÍTULO:

ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE A EXPRESSÃO DE MARCADORES DE CÉLULAS TRONCO TUMORAIS (ALDH-1 e SOX-2) E AS CARACTERÍSTICAS CLINICOPATOLÓGICAS DE NEOPLASIAS DE GLÂNDULAS SALIVARES



PALAVRAS-CHAVES:

Glândulas salivares; Neoplasias; Células tronco; Imuno-histoquímica; Western blot.


PÁGINAS: 160
RESUMO:

Os mecanismos moleculares e celulares que estão associados a patogênese, baixa resposta ao tratamento, recidiva e óbito em casos de tumores de glândula salivar não são totalmente conhecidos. Nesse sentido, é importante ressaltar que as células-tronco (CT) dentro de um tumor (CTT) estão relacionadas com a tumorigenicidade e progressão em neoplasias humanas. Diante do exposto, o objetivo desse trabalho foi avaliar através de Western-blot e imuno-histoquímica, a expressão de marcadores relacionados às CT (ALDH-1 e SOX-2) em neoplasias de glândula salivar e verificar se suas expressões apresentam associação com dados clinicopatológicos dos pacientes. Foram selecionados 103 casos de neoplasias malignas (25 CME; 15 CCA; 13 CAC; 10 ACP; 13 ACSOE; 8 CEME; 7 CAEXAP; 5 CDS; 4 ACCB; 3 CCC) e 51 casos de neoplasias benignas (25 AP; 9 MIO; 7 TW; 5 ACA; 5 ACB) para proceder o estudo. Dados clinicopatológicos e desfecho dos pacientes foram obtidos através dos registros médicos hospitalares. Os dados obtidos foram tabulados no software Microsoft Excel e transferidos para um banco de dados criado no software Statistical Package for Social Science, GraphPad Prism e STATA. O nível de significância de 5% foi adotado para os testes estatísticos (p<0.05). Os pacientes do estudo foram principalmente do sexo masculino, com média de idade de 52 anos; a parótida foi o sítio anatômico mais afetado. A maioria das neoplasias malignas, foi classificada como T1-T2, N0 e M0 e com estadiamento clínico II. A expressão das proteínas foi avaliada através de imuno-histoquímica e Western-blot, verificando-se que os resultados foram semelhantes entre as técnicas e que estavam correlacionados estatisticamente, tanto para SOX-2 (p<0.001) quanto para ALDH-1 (p=0.039). Em relação a expressão da SOX-2, a maioria dos tumores benignos foi negativa (n=39; 76.5%), sendo constatada expressão apenas nos tumores sem diferenciação mioepitelial (ACA e TW) (p<0.0001). Em contraparte a maioria dos tumores malignos estudados foi positiva para SOX-2 (n=54; 52.4%) sendo esse resultado estatisticamente significativo (p=0.002). Também foi evidenciada que essa expressão ocorreu em casos sem diferenciação mioepitelial (p=0.006) principalmente em CME e CCC. Não foram evidenciadas associações estatisticamente significativas entre a expressão de SOX-2 e parâmetros clínicos. A proteína ALDH-1 esteve frequentemente expressa no parênquima de neoplasias malignas (n=88; 85.6%) e benignas (100%). De maneira geral, a expressão da ALDH-1 no parênquima não se associou com parâmetros clínicos das neoplasias malignas, entretanto, os casos de CME com alta expressão no parênquima estavam associados com tumores de estadiamento clínico avançado (p=0.047). Foi constatada expressão da ALDH-1 em células do estroma tumoral, principalmente de neoplasias malignas (n=67; 65.0%), sendo essa expressão significativamente associada com metástase em linfonodos (p=0.032), estadiamento clínico avançado (p=0.008), recorrência tumoral (p=0.006) e óbito (p=0.013). A SG e SLD em 5 e 10 anos foi menor em pacientes diagnosticados com CAC, tumores T3-T4, presença de metástases, estadiamento clínico III-IV, que apresentaram recorrência e com expressão estromal de ALDH-1. Destaca-se que na análise multivariada, o estadiamento clínico avançado e expressão estromal da ALDH-1 representaram fatores prognósticos independentes na SLD. Com base nos resultados apresentados pode-se concluir que o perfil que caracteriza as CTT apresenta variações nos diferentes tumores de glândula salivar. A expressão diferencial da SOX-2 e ALDH-1 nessas neoplasias sugere que existem subtipos diferentes de CTT que podem ser ativadas por vias moleculares distintas. Conclui-se também que a presença de CTM pode estar diretamente relacionada com o comportamento biológico e progressão de tumores malignos em glândula salivar.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANA PAULA VERAS SOBRAL - UPE
Externo à Instituição - CASSIANO FRANCISCO WEEGE NONAKA - UEPB
Presidente - 346077 - LELIA BATISTA DE SOUZA
Interno - 2859541 - PEDRO PAULO DE ANDRADE SANTOS
Interna - 350484 - ROSEANA DE ALMEIDA FREITAS
Notícia cadastrada em: 29/10/2019 15:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao