Banca de DEFESA: AMANDA KATARINNY GOES GONZAGA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA KATARINNY GOES GONZAGA
DATA : 30/08/2019
HORA: 13:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA
TÍTULO:

ANÁLISE DO ESTRESSE OXIDATIVO, REPARO DO DNA E ALTERAÇÕES EPIGENÉTICAS NO LÍQUEN PLANO


PALAVRAS-CHAVES:

Líquen plano; Reparo do DNA; Estresse oxidativo; Acetilação; Imuno-histoquímica.


PÁGINAS: 112
RESUMO:

O líquen plano (LP) é uma doença mucocutânea, inflamatória, imunologicamente mediada por linfócitos T citotóxicos (LTCD8+). Enquanto o líquen plano oral (LPO) é considerado uma lesão potencialmente maligna, o líquen plano cutâneo (LPC) é uma condição tipicamente autolimitada, sugerindo que a patogênese destas lesões pode ser distinta. Assim, a fim de investigar o comportamento e evolução das diferentes formas clínicas desta doença, o objetivo deste estudo foi, primeiramente, avaliar os níveis de marcadores de estresse oxidativo na saliva de pacientes com LPO e, posteriormente, analisar o perfil de expressão de proteínas de reparo do DNA (XRCC1 e APE1) e da acetilação da histona H3K9 no LPO e LPC.  Para o estudo sobre estresse oxidativo, trinta e quatro indivíduos participaram da pesquisa, sendo 22 diagnosticados clínica e histopatologicamente com LPO (reticular e erosivo) e 12 como casos controle. A sialometria em repouso foi realizada em um tubo falcon (50mL) transparente e limpo durante cinco minutos. Posteriormente, foi realizada a análise de marcadores do estresse oxidativo (MPO, MDA) e ação antioxidante (SOD, GSH).  Para realização do estudo sobre reparo do DNA e acetilação da histona H3K9, a amostra total foi composta por 89 casos de LP, sendo 66 de LPO e 23 de LPC. A análise da expressão da APE1 e XRCC1 foi realizada através de imuno-histoquímica, enquanto a análise da acetilação da H3K9 foi realizada através de imunofluorescência. Foram fotografados cinco campos representativos das lesões e as análises foram realizadas de forma quantitativa. A análise estatística foi realizada utilizando os softwares SPSS e GraphPad Prism. No estudo relacionado ao estresse oxidativo, dos 22 pacientes diagnosticados com LPO, a maioria era do sexo feminino (n=19; 86.4%) e relatava ter entrado na menopausa (63.2%).  Em sua maioria, as lesões de LPO encontravam-se na fase ativa (77.3%), havendo predominância do LPO do tipo reticular (n=15; 68.2%). Quantos aos níveis de estresse oxidativo, não houve diferença estatisticamente significativa ao comparar os valores de SOD, GSH, MPO e MDA entre os grupos caso e controle, como também entre os LPO erosivos e reticulares (p > 0.05). Indivíduos com lesões inativas de LPO apresentaram um nível mais alto de SOD, quando comparados aos que possuíam lesões ativas (p = 0.031). O estudo relacionado ao reparo do DNA e acetilação da histona H3K9, demonstrou que a imunorreatividade para APE1 e XRCC1 foi significativamente maior no LPC do que no LPO (P = 0,003 e P = 0,034, respectivamente). Houve uma correlação positiva significativa e moderada entre APE1 e XRCC1 no grupo do LPO (Rho = 0,544; P <0,0001). No LPO, não houve resultados estatisticamente significativos comparando a expressão de APE1 e XRCC1 entre os casos reticulares e erosivos (P> 0,05). A avaliação dos níveis de acetilação da histona H9K3 não revelou resultados significativos comparando o LPO e a LPC, nem comparando LPO erosivo e reticular (P> 0,05). Em conclusão, nossos achados revelaram que os marcadores de estresse oxidativo na saliva de pacientes com LPO foram semelhantes aos casos de controle, o que pode estar relacionado à alta exposição do ambiente da cavidade bucal a diversos estímulos físicos, químicos e microbiológicos, importantes geradores do estresse oxidativo. Além disso, alterações no perfil de expressão das proteínas de reparo do DNA exerceram maior influência nos casos de LPC do que nos casos de LPO e a acetilação da histona H3K9 é um evento epigenético encontrado em ambas as lesões. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347125 - ANA MIRYAM COSTA DE MEDEIROS
Interna - 346077 - LELIA BATISTA DE SOUZA
Interna - 1298808 - MARCIA CRISTINA DA COSTA MIGUEL
Externo à Instituição - CRISTIANE HELENA SQUARIZE - UM
Externa à Instituição - POLLIANNA MUNIZ ALVES - UEPB
Notícia cadastrada em: 08/08/2019 16:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao