Banca de DEFESA: ROMULO AUGUSTO DE PAIVA MACEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROMULO AUGUSTO DE PAIVA MACEDO
DATA : 23/02/2018
HORA: 14:30
LOCAL: SALA VII DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA
TÍTULO:

EFEITO DA FOTOBIOMODULAÇÃO NA PROLIFERAÇÃO DE CÉLULAS-TRONCO DA POLPA DE DENTES DECÍDUOS ESFOLIADOS CULTIVADAS SOBRE FILMES DE ÁCIDO POLILÁCTICO


PALAVRAS-CHAVES:

Células-tronco; Ácido poliláctico; Fotobiomodulação; Proliferação celular.


PÁGINAS: 84
RESUMO:

A fotobiomodulação (PBM) estimula a proliferação de diferentes tipos celulares, incluindo células-tronco. A células-tronco da polpa do dente decíduo esfoliado (SHEDs) apresentam um potencial de diferenciação maior do que as demais células-tronco mesenquimais, sendo o foco de diversas pesquisas na área da engenharia tecidual. Para que as células proliferarem e se diferenciem in vitro é necessário o desenvolvimento de um microambiente favorável, o qual pode ser fornecido por um biomaterial que mimetize a matriz extracelular natural, destacando-se para esta finalidade o ácido poliláctico (PLA) por suas propriedades de biocompatibilidade e biodegradabilidade, além do baixo custo. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da PBM em diferentes doses na proliferação e viabilidade de SHEDs cultivadas sobre arcabouços bidimensionais de PLA. As SHEDs foram cultivadas sobre os filmes e divididas em três grupos: (C) controle não irradiado; (L1) irradiadas com dose de 1 J/cm2; e (L4) irradiadas com dose de 4 J/cm2. As irradiações foram realizadas com laser diodo InGaAlP, com comprimento de onda de 660 nm e potência de 30 Mw, em dose única. A viabilidade e a proliferação celular foram avaliadas nos intervalos de 24, 48 e 72 horas após a irradiação, através do método de exclusão do Trypan blue e ensaio do Alamar blue, enquanto a morfologia e a distribuição das células na superfície dos filmes foram avaliadas por MEV no intervalo de 72 horas. Os dados quantitativos foram submetidos a testes estatísticos não paramétricos. Os resultados das contagens de celulares no ensaio de exclusão do Trypan blue revelaram que os grupos L1 e L4 apresentaram um número maior de células viáveis em comparação com o grupo C em todos os intervalos analisados, com diferenças estatisticamente significativas entre L1 e C nos intervalos de 48 e 72 h (p<0,01) e entre L4 e C nos intervalos de 24 (p<0,05), 48 (<0,0001) e 72h (p<0,01). Os dados do ensaio do Alamar blue confirmaram que os grupos L1 e L4 exibiram uma maior proliferação celular em comparação ao grupo C, sendo as diferenças significativas entre L1 e C em 48 e 72 h (p<0,0001) e entre L4 e C em 24 (p<0,01), 48 (p<0,001) e 72 h (p<0,0001). O percentual de redução do Alamar blue mostrou-se significativamente maior em L4 em comparação com L1 apenas em 24 h (p<0,05). A análise das amostras por MEV mostrou que nos grupos irradiados as células apresentavam uma distribuição mais homogênea ao longo da superfície dos filmes e uma maior densidade celular em comparação com o grupo C, sendo esta diferença ainda mais evidente no grupo L4. Conclui-se que a PBM nos parâmetros estudados, especialmente na dose de 4 J/cm2, estimula a proliferação de SHEDs em contato com filmes de PLA, constituindo assim uma ferramenta metodológica com potencial aplicação nas técnicas de engenharia tecidual.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2220417 - CARLOS AUGUSTO GALVAO BARBOZA
Externo à Instituição - CARLOS EDUARDO BEZERRA DE MOURA - UFERSA
Interno - 1298808 - MARCIA CRISTINA DA COSTA MIGUEL
Notícia cadastrada em: 09/02/2018 08:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao