Banca de DEFESA: ISRAEL LEAL CAVALCANTE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ISRAEL LEAL CAVALCANTE
DATA : 29/01/2018
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIAUFRN
TÍTULO:

IMUNOEXPRESSÃO DE TWIST E E-CADERINA EM QUEILITES ACTÍNICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Queilite actínica. Imuno-histoquímica. Fatores de Transcrição Twist. Caderinas.


PÁGINAS: 81
RESUMO:

A queilite actínica (QA) é uma lesão potencialmente maligna oral (LPMO) que resulta da exposição crônica aos raios solares. Atualmente, não é possível predizer quais os casos de QA progredirão para o carcinoma de células escamosas de lábio (CEEL) e, portanto, alguns marcadores biomoleculares têm sido alvo de pesquisas. Neste contexto, a proteína Twist, um fator de transcrição altamente conservado que pertence à família das proteínas helix-loop-helix, atua na regulação negativa da E-caderina agindo como um importante regulador do fenótipo mesenquimal. Pouco se sabe sobre o papel do Twist nas LPMOs, no entanto, estudos recentes demonstram que este fator de transcrição parece participar do processo de carcinogênese oral desde seus estágios iniciais. Objetivo: Esta pesquisa se propõe a avaliar a imunoexpressão de Twist e E-caderina em QAs, bem como verificar se essa expressão está associada com a progressão morfológica dessas lesões. Método: A imunoexpressão epitelial da E-caderina e Twist foi analisada semi-quantitativamente em 86 casos de QAs com graus variados de displasia epitelial, de acordo com os escores: (1) <25% de células positivas; (2) 25 a 50% de células positivas; (3) 50 a 75% de células positivas e (4) > 75% de células positivas. As comparações das medianas dos escores de expressão da E-caderina e do Twist de acordo com o grau histológico das QAs foram realizadas por meio do teste não paramétrico de Mann-Whitney. Resultados: A análise da expressão do Twist e E-caderina no epitélio das QAs revelou imunorreatividade membranar e citoplasmática para a E-caderina em todas as camadas epiteliais, exceto na camada de ceratina. Para o Twist verificou-se uma imunorreatividade nuclear e citoplasmática em todas as camadas epiteliais, exceto na camada de ceratina. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas nas medianas dos escores de E-caderina e Twist total e nos diferentes compartimentos celulares analisados (membranar e citoplasmático para E-caderina e nuclear e citoplasmático para Twist) em relação ao grau histológico das QAs (p > 0,05).  Conclusão: Os resultados deste estudo sugerem uma elevada imunoexpressão do Twist e E-caderina nos casos de QAs, no entanto, essas proteínas parecem não estar associadas com a progressão morfológica nos casos analisados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347125 - ANA MIRYAM COSTA DE MEDEIROS
Externo à Instituição - ROBERTA BARROSO CAVALCANTE - UNIFOR
Interno - 350484 - ROSEANA DE ALMEIDA FREITAS
Notícia cadastrada em: 19/01/2018 09:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao