Banca de DEFESA: STEFÂNIA JERONIMO FERREIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: STEFÂNIA JERONIMO FERREIRA
DATA: 24/02/2015
HORA: 14:30
LOCAL: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA
TÍTULO:

Avaliação dos polimorfismos funcionais nos genes de reparo XRCC1, APEX XPD e XPF em carcinomas de céulas escamosas orais.


PALAVRAS-CHAVES:

Carcinoma de Células Escamosas Oral; Polimorfismos de Nucleotídeo Único; Reparo de DNA; APEX1; XRCC1; XPD; XPF


PÁGINAS: 117
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

As vias de reparo por excisão de base (BER) e por excisão de nucleotídeo (NER) desempenham um papel crucial na manutenção da integridade genômica. Polimorfismos em genes das vias BER e NER, que modulam a capacidade de reparo do DNA, podem estar relacionados ao risco de desenvolvimento e desfecho clínico do câncer oral. O presente trabalho foi realizado com amostras do DNA de 92 pacientes com carcinoma de células escamosas oral (CCEO) e 130 controles. Foi realizada uma associação entre a presença de polimorfismos em genes de reparo do DNA e o risco de desenvolver CCEO, bem como o seu desfecho clínico. Quatro polimorfismos de nucleotídeo simples (SNPs) foram analisados nos genes XRCC1 (X-ray repair cross-complementing groups) – rs25487, APEX1 (apurinic/apyrimidinic endonuclease-1) – rs1130409, XPD (Xeroderma pigmentosum complementation group D) – rs13181 e XPF (Xeroderma pigmentosum complementation group F) – rs1799797. O método utilizado foi a reação em cadeia da polimerase em tempo real. O software estatístico GraphPad Prism version 6.0.1. foi utilizado para a aplicação dos testes apropriados. Odds ratio (OR) e hazard ratio (HR), e seus intervalos de confiança (IC) de 95%, foram calculados pela regressão logística e análise multivariada de Cox. A presença das variantes polimórficas nos genes XRCC1, APEX1, XPD, e XPF não foram associadas ao risco de desenvolver CCEO. A interação da presença da variante polimórfica com o hábito de fumar não foi significativa para nenhum dos polimorfismos analisados. Já a presença do polimorfismo em XPD, somada ao hábito de beber, aumentou o risco de desenvolver CCEO (OR 1,86, 95% IC: 0,86 – 4,01, p=0,03). Apenas o SNP do APEX1 (rs1130409) esteve associado a uma diminuição da sobrevida específica (HR 3,94, 95% IC: 1,31 – 11,88, p=0,01). O presente estudo sugere uma interação entre o consumo de álcool e a presença do polimorfismo estudado no gene XPD. Além disso, indica um valor prognóstico para a presença do SNP estudado em APEX1. Mais estudos que avaliem a relevância funcional de polimorfismos são necessários para o entendimento da importância desta alteração no desenvolvimento e evolução do câncer oral.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARCIO AJUDARTE LOPES - UNICAMP
Notícia cadastrada em: 10/02/2015 15:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao