Projeto Pedagógico do Curso

Em consonância com o perfil apontado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais, o cirurgião-dentista egresso do curso de Odontologia da UFRN teráuma formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, estando apto a atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com base no rigor técnico e científico; capacitado ao exercício de atividades referentes à saúde bucal da população, pautado em princípios éticos, legais e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, dirigindo sua atuação para a transformação da realidade em benefício da sociedade.

Instituições de saúde públicas e privadas tais como hospitais, clínicas e ambulatórios, consultórios, instituições esportivas, instituições de ensino superior e/ou de pesquisa, dentre outros.

Durante a discussão dos componentes curriculares ao longo da construção do novo currículo, tem sido reforçada atenção às competências gerais previstas pelas DCN que devem ser desenvolvidas no aluno ao longo da graduação em todas as atividades formadoras.

Gerais

. Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo.

. Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

. Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não-verbal e habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação;

. Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

. Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativa, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a ser empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde;

. Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços, inclusive, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação através de redes nacionais e internacionais.

Nenhum conteúdo disponível até o momento Nenhum conteúdo disponível até o momento

O Núcleo Docente Estruturante (NDE), atuante desde 31/08/2012 (Portaria 001/CCS, 2015), em substituição à Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Currículo, juntamente com o Colegiado de Curso de Odontologia, aliados à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Pró-reitoria de Graduação da UFRN atuarão em conjunto na tentativa de promover ações de avaliação interna, nas esferas discente, docente e técnico-administrativa. O Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) promove semestralmente algumas avaliações tanto no momento do encerramento do semestre como ao longo do ano por meio de instrumentos que avaliam o aluno, o professor, gestão, infraestrutura, biblioteca, servidores técnico-administrativos e o curso de uma forma geral. Uma proposta é ampliar a avaliação do egresso nesse contexto do projeto pedagógico.

Essa análise dos resultados deverá ser realizada semestralmente ou anualmente por meio das Comissões citadas e posteriormente discutidas em momentos específicos, programadas pela chefia e coordenação do curso, por meio de oficinas e reuniões sobre a avaliação do semestre anterior e verificar o cumprimento das atividades. A utilização dessa análise se faz necessária para o aperfeiçoamento do novo currículo a ser implementado, para buscar correções, adaptações e melhorias, além de serem trabalhadas estratégias com esse fim.

No caso da avaliação da estrutura curricular, ela é importante pois permitirá a inclusão ou exclusão de novos componentes, sejam obrigatórios ou optativos, inclusão/exclusão de pré-requisitos ou co-requisitos, alteração de ementas dos componentes, separação ou união de componentes, atualizaçãobibliográfica ou outro item. Diante disso, essa avaliação do Projeto Pedagógico precisa ser uma atividade permanente e dinâmica e se faz necessária para estabelecer os critérios de excelência e as dificuldades e insatisfações encontradas pelos mesmos.

Essas ações a serem desenvolvidas a partir dessas avaliações devem envolver o desenvolvimento e avaliação das habilidades e competências mencionadas e exigidas pelas DCN, se estão sendo alcançadas, o comprometimento e adequação do professor ao projeto pedagógico do curso no que diz respeito ao cumprimento das ementas propostas, visando tanto a integração do ciclo básico com o profissionalizante, nas integrações horizontais propostas, desenvolvimento e utilização de metodologias ativas no processo ensinoaprendizagem, relação teoria-prática e sistema de avaliação.

Além dessa avaliação, Ações Acadêmico-Administrativas a partir dos resultados de avaliações externas e autoavaliação farão parte desse processo. Como o curso de Odontologia possui 4 notas 5,0 nos últimos ENADE, essas ações já são frequentes dentro do projeto pedagógico atual e, sem dúvidas, farão parte da nova proposta. O Curso de Odontologia foi recentemente aprovado (2014) para ingresso no ARCU-SUL (Sistema de Acreditação Regional de Cursos de Graduação do MERCOSUL), o que denota o ensino de qualidade e referencia nacional, enquadrando-se dentro das perspectivas exigidas. Nessa ocasião, a Coordenação do Curso e o NDE já contaram com a ajuda nesse processo de avaliação pela Comissão Própria de Avaliação – CPA. Adicionalmente, poder-se-á contar com a orientação Didático-Pedagógica da PROGRAD e com a ajuda das ações desenvolvidas pelo Programa de Atualização Pedagógica da UFRN (PAP).

Oficinas têm sido realizadas em diversos momentos dos semestres, nos últimos anos, normalmente definidas no calendário semestral, antes das reuniões departamentais, com a participação dos docentes e representantes discentes de cada período do curso e do centro acadêmico. São discutidos os pontos mencionados e buscadas alternativas e soluções para os problemas e distorções possivelmente identificados, além de traçadas metas e um plano de ação para resolução dos mesmos e implementações futuras. Esses momentos serão mantidos e realizados rotineiramente com finalidade de melhorar sempre a qualidade do curso e o projeto pedagógico.

A autoavaliação por parte do docente também já é realizada via online, no sistema acadêmico, contemplando diversos itens, entre eles, identificação de pontos que precisam ser melhorados na sua prática pedagógica.

Buscou-se com esse novo projeto pedagógico uma maior integração dos conteúdos, por meio de macro disciplinas, permanecendo a complexidade crescente, ampliando a característica formativa do aluno e com perfil generalista. Durante o período de transição entre as matrizes curriculares, serão analisadas, pelo NDE e Colegiado de Curso, por meio das oficinas, as equivalências de disciplinas para permitir uma análise de adequações ou adaptações, quando necessárias.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2018 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao