Projeto Pedagógico do Curso

O perfil do profissional egresso do curso de graduação em Farmácia da UFRN se caracteriza por uma formação generalista, tendo como atribuições essenciais a promoção e a proteção da saúde humana, desenvolvendo atividades associadas ao fármaco, ao medicamento e aos cosméticos, às análises clínicas e toxicológicas e
ao controle, produção e análise de alimentos.
O egresso do curso de Farmácia da UFRN deverá ser um profissional com amplo conhecimento científico, capacitação técnica e habilidades para definição, promoção e aplicação de políticas de saúde, atuando como partícipe de equipe multiprofissional em todos os níveis de atenção à saúde, respeitando a legislação vigente e os princípios éticos da profissão.
A capacitação profissional do egresso deverá estar alicerçada no desenvolvimento de competências e habilidades para atuar com compreensão da realidade social, cultural, ambiental e econômica do seu meio. Esta atuação se fará através do exercício do pensamento crítico e juízo profissional; do gerenciamento; da análise de dados; da tomada de decisões e solução de problemas; da comunicação oral e escrita; da construção do conhecimento e desenvolvimento profissional e da interação social. O farmacêutico deverá, portanto, compreender as diferentes concepções do processo saúde-doença, os princípios psicossociais e éticos das relações humanas e os fundamentos dos métodos científicos, atuando no sentido da transformação de realidades e benefício da sociedade, com a conseqüente melhoria da qualidade de vida da população.

COMPETÊNCIAS GERAIS

Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos
padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo;

Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não-verbal e habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo
menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação;

Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso,
responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativa, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a ser empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde;

Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos
serviços, inclusive, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação através de redes nacionais e internacionais.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

a) Realizar atenção farmacêutica na área do medicamento, análises clínicas e toxicológicas e alimento de forma individual e coletiva, levando em consideração os contextos socioeconômico, cultural, sanitário e educacional dos vários segmentos que compõem a sociedade;
b) Participar ativamente na formulação e acompanhamento de políticas de saúde visando melhorar as condições de vida da população;
c) Promover e gerir o uso racional de medicamentos em todos os níveis de sistemas de saúde;
d) Conhecer e interpretar os indicadores epidemiológicos de Saúde Pública;
e) Gerenciar sistemas de farmácia que incluem seleção, planejamento de necessidades, aquisição, distribuição de
medicamentos e correlatos, em todos os níveis de sistemas de saúde, assegurando custo e efetividade;
f) Planejar e gerenciar laboratórios de análises clínicas, toxicológicas, de citopatologia e alimentos.
g) Dispensar e administrar medicamentos, nutracêuticos e alimentos de uso enteral e parenteral prestando informações nos vários níveis de complexidade, ao paciente, aos demais profissionais da saúde, organismos de saúde pública e ao público em geral;
h) Interpretar e avaliar prescrições, identificando as incompatibilidades entre fármacos, fármaco-adjuvantes e as
interações medicamento-medicamento e medicamentoalimento;
i) Identificar e orientar interferências de medicamentos nos exames clínicolaboratoriais e toxicológicos;
j) Realizar, interpretar, emitir laudos, pareceres e exercer responsabilidade técnica por análises laboratoriais, incluindo exames hematológicos, microbiológicos, citológicos, histoquímicos e biologia molecular, bem como análises toxicológicas e de alimentos dentro dos padrões de qualidade e normas de segurança;
k) Desenvolver e operar sistemas de informação farmacológica e toxicológica para pacientes, equipes de saúde, instituições e comunidade;
l) Realizar avaliação toxicológica de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes, correlatos e alimentos;
m) Atuar na monitorização farmacoterapêutica e na farmacovigilância;
n) Aplicar os procedimentos básicos de primeiros socorros;
o) Formular e produzir medicamentos, cosméticos, saneantes e domissanitários em qualquer escala;
p) Realizar atividades de garantia e controle de qualidade de medicamentos, cosméticos, saneantes e domissanitários, e processos e serviços onde seja necessária a sua atuação;
q) Desenvolver e controlar a qualidade de insumos farmacêuticos, reagentes, equipamentos e correlatos;
r) Pesquisar e desenvolver fármacos, medicamentos, cosméticos, saneantes e domissanitários de qualquer origem;
s) Solicitar registro de produtos farmacêuticos e autorização para produção e comercialização de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissanitários e correlatos;
t) Atuar em órgãos de regulamentação e fiscalização do exercício profissional e de aprovação, registro e controle de medicamentos, cosméticos e correlatos;
u) Planejar as atividades de recursos humanos vinculados às áreas do medicamento, das análises clínicas e do alimento;

Muitos conteúdos, como por exemplo, Inglês Instrumental, Matemática e Língua Portuguesa, serão abordados transversalmente para não sobrecarregar o currículo e nem o aluno com informações compartimentalizadas e sem vínculo com as matérias, para as quais esses conteúdos são necessários. É o caso da Matemática, que tradicionalmente é estudada em disciplinas básicas em todos os cursos de Farmácia. Os conteúdos de Matemática são requisitos básicos em muitas áreas das Ciências Farmacêuticas, o que torna difícil reunir todos os elementos em um só momento do curso, sem exemplos práticos. Assim, ao invés de uma nova disciplina, os
elementos de matemática indispensáveis ao bom desenvolvimento da aprendizagem serão introduzidos dentro do contexto para o qual sua aplicação será necessária.

O mesmo é aplicável à maior parte dos conteúdos relacionados às Ciências Humanas e Sociais, os quais serão abordados transversalmente nas atividades e disciplinas de cunho essencialmente prático, como os estágios (principalmente os realizados na primeira metade do curso), atividades complementares, etc. Além disso, de acordo com o perfil do profissional delineado, o caráter humanístico deve ser referencial teórico-metodológico para todas as disciplinas do Curso. Esses conteúdos, portanto, permeiam cada área de Farmácia.

No caso de Língua Portuguesa, especialmente no que se refere à expressão escrita, o uso correto da língua será estimulado durante todo o curso, com maior ênfase nos primeiros semestres, onde, a partir de trabalhos escritos pelos alunos, os professores terão condições de reforçar pontos problemáticos ou orientar aqueles que
apresentarem maior dificuldade. Do mesmo modo, será enfatizada a importância de dominar o inglês, que permite o acesso a um número maior de informações. Durante o curso, a Língua Inglesa será trabalhada através de leitura e análise de trabalhos científicos publicados em periódicos internacionais e de pesquisa em sites da
Internet. As disciplinas que utilizarão esse recurso serão escolhidas nas reuniões de planejamento.

Em relação à internet, seu uso será estimulado em todas as disciplinas desde o inicio do curso. A informática constitui hoje uma ferramenta indispensável ao aprendizado e também em qualquer setor da vida profissional. Portanto, o aluno será levado a conhecê-la pela própria utilização deste recurso.

A avaliação do projeto pedagógico deve ser feita através de reuniões do Colegiado do Curso, reuniões com os departamentos envolvidos no Curso e seminários de avaliação do Curso e do próprio Projeto Político Pedagógico.
Deve-se instituir reuniões de planejamento pedagógico, organizadas semestralmente pela coordenação do curso, envolvendo professores que lecionam disciplinas independente do departamento de lotação. Essas reuniões devem ter como objetivos:
• Discutir o currículo completo do Curso de Farmácia horizontal e verticalmente, permitindo uma contextualização.
• Indicar quais as disciplinas que serão prioritariamente responsáveis pelos conteúdos transversais.
• Possibilitar o contato entre os professores do mesmo nível, o que torna possível a existência de trabalhos interdisciplinares.
• Estabelecer um fórum de discussão mais amplo do que o Colegiado do Curso.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao