Banca de DEFESA: SANIELY MARIA BEZERRA DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SANIELY MARIA BEZERRA DE MELO
DATA : 23/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Seminários 1 (SS1) DBG CB
TÍTULO:

Alterações fisiológicas e oxidativas durante o armazenamento de sementes de Moringa oleifera Lam.


PALAVRAS-CHAVES:

Ascorbato; Atrofia da raiz primária; Carbonilação de proteínas; Deterioração de sementes; Enzimas antioxidantes; Peróxido de hidrogênio


PÁGINAS: 44
RESUMO:

Os danos oxidativos apresentam papel central na deterioração das sementes durante o armazenamento. Deste modo, o presente trabalho objetivou caracterizar a viabilidade e o vigor, assim como o dano e a proteção oxidativa durante o armazenamento de sementes de Moringa oleifera Lam. (moringa). Para tanto, as sementes foram acondicionadas em sacos plásticos semipermeáveis e armazenadas em câmara de crescimento (27 ± 2ºC e UR de 65%) e em refrigerador (4 ± 2ºC e UR de 25%) por 18 meses. As amostras foram coletadas após a colheita e a cada três meses durante o armazenamento, avaliando-se teor de água, porcentagem de germinação, índice de velocidade de germinação (IVG), porcentagem de plântulas anormais, lixiviação de K+, conteúdo de H2O2,peroxidação lipídica, carbonilação de proteínas, conteúdo de ascorbato reduzido (AsA), além das atividades de superóxido dismutase (SOD), peroxidase de ascorbato (APX), peroxidase de fenóis (POX) e catalase (CAT). A diminuição da porcentagem de germinação e do IVG aliada ao aumento da lixiviação de K+ e da porcentagem de plântulas anormais ocorreu mais acentuadamente nas sementes armazenadas em câmara de crescimento que naquelas armazenadas sob refrigeração, ao longo de 18 meses. Independente do ambiente de armazenamento, não houve variação da peroxidação lipídica, mas ocorreu diminuição do conteúdo de H2O2 e da atividade de POX em paralelo com o aumento da carbonilação de proteínas, do conteúdo de AsA e das atividades de SOD, APX e CAT. Desta forma, a viabilidade e o vigor das sementes de moringa são melhor conservados em ambiente refrigerado com baixa UR por um prazo máximo de 12 meses. A perda da qualidade após este prazo não pode ser associada à acumulação de H2O2 e à peroxidação lipídica, mas deve envolver a oxidação de proteínas. A preservação do conteúdo de AsA e das atividades de SOD, APX e CAT parece insuficiente para manter a viabilade e o vigor das sementes de moringa a partir de 12 meses de armazenamento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1228866 - EDUARDO LUIZ VOIGT
Interno - 1721230 - MAURO VASCONCELOS PACHECO
Externo à Instituição - THIAGO BARROS GALVAO - NENHUMA
Notícia cadastrada em: 14/02/2017 15:11
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao