Banca de DEFESA: RICHELIEL ALBERT RODRIGUES SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RICHELIEL ALBERT RODRIGUES SILVA
DATA : 16/02/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório da Direção da EAJ
TÍTULO:

ECOLOGIA REPRODUTIVA, DIVERSIDADE GENÉTICA E SISTEMA REPRODUTIVO DE Copernicia prunifera (ARECACEAE)


PALAVRAS-CHAVES:

Carnaúba, Fenologia reprodutiva, Estruturas reprodutivas, ISSR, Taxa de cruzamento


PÁGINAS: 53
RESUMO:

O presente estudo teve como objetivos descrever as características reprodutivas da palmeira Copernicia prunifera, investigar a diversidade genética e o sistema de reprodução de uma população natural por meio de marcadores ISSR no estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Em relação à caracterização das estruturas reprodutivas, viabilidade polínica e à fenologia reprodutiva da Copernicia prunifera, observaram-se que as inflorescências são múltiplas, constituídas de flores hermafroditas, com coloração clara. Além disso, as flores são compostas por 3 sépalas, 3 pétalas, 6 estames e 3 carpelos. O percentual médio de pólens viáveis foi de 62%. Adicionalmente, existem divergências nas fenofases reprodutivas entre as populações avaliadas, sendo observada atividade contínua na produção de flores e frutos maduros na população de Parnamirim, e descontínua na população de Macaíba. Os marcadores utilizados para analisar a diversidade genética e o sistema reprodutivo da Copernicia prunifera foram mediamente informativos e apresentaram elevado polimorfismo. Os valores dos índices de diversidade entre os indivíduos adultos e as progênies não diferiram estatisticamente (He= 0,319 e I = 0,470; He= 0,337 e I = 0,505), respectivamente. No teste de hipóteses para detecção de gargalo genético, nos modelos IAM (alelos infinitos) e SMM (passos de mutações), todos os indivíduos apresentaram redução populacional, além de déficit de heterozigosidade (P < 0,0001). As taxas de cruzamento em nível de população (n = 247) apontaram cruzamento multiloco (tm) de 0,878 e entre indivíduos não aparentados (ts) de 0,738, indicando que a Copernicia prunifera é uma espécie de cruzamento misto, sendo preferencialmente alógama. A diferença entre a taxa de cruzamento uniloco e multiloco (tm - ts) foi reduzida, sinalizando baixo cruzamento entre indivíduos aparentados. O índice de fixação entre as árvores matrizes (F) foi negativo (- 0,200), apontado à ausência de endogamia. A correlação de autofecundação (rs) evidenciou valor elevado (0,914). Os resultados encontrados nesse estudo geraram informações sobre a ecologia reprodutiva da espécie, como também para adoção de estratégias de manejo, conservação e melhoramento genético da palmeira Copernicia prunifera.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1715697 - FABIO DE ALMEIDA VIEIRA
Interno - 2075596 - CRISTIANE GOUVEA FAJARDO
Externo à Instituição - MURILO MALVEIRA BRANDÃO - UNIMONTES
Notícia cadastrada em: 02/02/2017 09:43
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao