PPGCF/EAJ/UFRN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Telefone/Ramal: (84) 99418-0909 http://www.posgraduacao.ufrn.br/cfl

Banca de DEFESA: ANNY GABRIELLE DA CRUZ CHAVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANNY GABRIELLE DA CRUZ CHAVES
DATA : 12/12/2016
HORA: 10:00
LOCAL: EAJ
TÍTULO:

DIAGNÓSTICO DA EXPLORAÇÃO DE LENHA EM PLANOS DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL NA CAATINGA DO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Energia renovável; Madeira; Região Nordeste.


PÁGINAS: 47
RESUMO:

Este trabalho teve como objetivo diagnosticar a exploração de lenha em 30 áreas com Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) na Caatinga do Estado do Rio Grande do Norte. A coleta dos dados foi realizada por meio de entrevistas com os proprietários das áreas com PMFS e aplicação de questionário. Cerca de 63,3% dos PMFS têm área até 750 ha, com produtividade variando entre 83 e 263 st/ha. A maioria (70%) tem até três anos de atividade de exploração e o principal produto explorado foi a lenha para consumo direto. O corte da lenha foi terceirizado em 83,3% das áreas e realizado pelos proprietários nas demais. Grande parte dos proprietários (43,3%) encontrou dificuldade para contratação de pessoal capacitado para o corte, que foi realizado com motosserra em 66,7% das propriedades e com machado e foice em 13,3%. Em 30% das áreas havia exploração ilegal de lenha antes do PMFS e em 63,3% das propriedades a Reserva Legal foi demarcada por ocasião da elaboração do PMFS, demonstrando que a atividade contribui para a conservação florestal. Para 87,7% dos proprietários entrevistados o manejo florestal sustentável é economicamente interessante. Em relação às principais dificuldades encontradas, 80% dos proprietários citaram a falta de fiscalização da exploração e do comércio de lenha clandestina e os demais citaram a demora da autorização pelo órgão ambiental para o início das atividades de exploração. O alto percentual de satisfação se deve à geração de renda pela atividade. Entretanto, a insatisfação está diretamente relacionada com as dificuldades encontradas. Apesar disso, a maioria dos entrevistados (87,7%) pretende continuar com o manejo florestal na propriedade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1698809 - JULIANA LORENSI DO CANTO
Externo ao Programa - 2326526 - TATIANE KELLY BARBOSA DE AZEVEDO CARNAVAL
Externo à Instituição - ALLYSON ROCHA ALVES - UFERSA
Notícia cadastrada em: 23/11/2016 14:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao