PPGCF/EAJ/UFRN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Telefone/Ramal: (84) 99418-0909 http://www.posgraduacao.ufrn.br/cfl

Banca de DEFESA: MARIA LUIZA DE SOUZA MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA LUIZA DE SOUZA MEDEIROS
DATA: 17/12/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de reuniões do prédio da Direção da EAJ
TÍTULO:

TESTES PARA A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE Moringa oleifera Lam.


PALAVRAS-CHAVES:

moringa, envelhecimento acelerado, condutividade elétrica, lixiviação de potássio, qualidade fisiológica.


PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
SUBÁREA: Silvicultura
ESPECIALIDADE: Sementes Florestais
RESUMO:

A avaliação do vigor de sementes é um fator importante para a detecção de lotes de sementes de alta qualidade, de modo que o desenvolvimento de procedimentos para avaliar o potencial fisiológico tem sido importante ferramenta dentro de programas de controle de qualidade de sementes. Nesse sentido, este trabalho teve como objetivo adequar as metodologias dos testes de envelhecimento acelerado, condutividade elétrica e lixiviação de potássio para a avaliação do vigor de sementes de Moringa oleifera LAM.. Para tanto, quatro lotes de sementes foram submetidos aos testes de germinação, emergência de plântula, índice de velocidade de emergência, primeira contagem de emergência, comprimento e massa seca de plântulas e teste frio, para a sua caracterização fisiológica, além dos testes de envelhecimento acelerado, condutividade elétrica e lixiviação de potássio. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições de 50 sementes, e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade, sendo realizada a análise de regressão polinomial no teste de condutividade elétrica. Para o teste de envelhecimento acelerado, foram estudados os períodos de envelhecimento de 12, 24 e 72 horas, a 40, 42 e 45 ºC. Para o teste de condutividade elétrica, utilizou-se a temperatura de 25 °C por períodos de 4, 8, 12, 16 e 24 horas de imersão, em 75 e 125 mL de água destilada, utilizando-se 25 e 50 sementes e, para o teste de lixiviação de potássio, utilizou-se amostras de 25 e 50 sementes, colocadas em copos plásticos contendo 70 e 100 mL de água destilada à 25 °C por períodos de 1, 2, 3, 4, 5 e 6 horas. A partir dos resultados obtidos, pode-se inferir que as metodologias que melhor se ajustaram para o teste de envelhecimento acelerado em sementes de moringa foram a temperatura de 40 ºC por 12 e 72 horas, 42 ºC a 72 horas e 45 ºC a 24 horas. Para o teste de condutividade elétrica em sementes de moringa, a combinação de 50 sementes em 75 mL de água destilada por período de embebição de 4 horas e, 50 sementes em 125 ml por 4 horas foram eficiente para a diferenciação dos lotes de sementes de moringa quanto ao vigor e, para o teste de lixiviação de potássio em sementes de moringa, a combinação de 50 sementes /100 mL de água destilada permitiu a separação dos lotes em quatro níveis de vigor, a partir de 2 horas de imersão, mostrando-se promissor na avaliação da qualidade de sementes de moringa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1880265 - MARCIO DIAS PEREIRA
Externo ao Programa - 1575330 - CASSIA REGINA DE ALMEIDA MORAES
Externo à Instituição - ANDRESSA VASCONCELOS FLORES - UFSC
Notícia cadastrada em: 15/12/2015 09:53
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao