Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCIANA GOMES PINHEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIANA GOMES PINHEIRO
DATA: 30/09/2015
HORA: 08:00
LOCAL: Sala do PPGCFL
TÍTULO:

Desenvolvimento de marcadores microssatélites e estrutura genética espacial da Copernicia prunifera (Mill) H. E. Moore (Arecaceae)


PALAVRAS-CHAVES:

Carnaúba. Marcadores moleculares. Padrão espacial.


PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
SUBÁREA: Silvicultura
ESPECIALIDADE: Genética e Melhoramento Florestal
RESUMO:

O presente estudo visou (1) desenvolver marcadores microssatélites (SSR) para Copernicia prunifera e (2) caracterizar o padrão demográfico e a estrutura genética espacial (EGE) em diferentes estágios de desenvolvimento de C. prunifera em uma população natural do RN, utilizando marcadores moleculares ISSR. Foram desenvolvidos 17 pares de iniciadores SSR, os quais foram testados utilizando DNA proveniente de amostras de populações distintas. A estrutura demográfica e genética espacial foram avaliadas em uma parcela com área de 0,55 ha, onde todos os indivíduos foram georreferenciados. O padrão espacial foi avaliado no programa SpPack; a variabilidade genética intrapopulacional no programa POPGENE; a Análise de Variância Molecular (AMOVA) entre os diferentes estágios de vida da população no programa ARLEQUIN; a EGE no programa SPAGeDi, onde estimou-se o valor de coancestria entre pares de indivíduos para as diferentes classes de distância, para cada estágio de vida e para todos os indivíduos da população. As análises moleculares utilizando marcadores microssatélites indicaram que todos os pares de iniciadores construídos, quando submetidos à PCR, amplificaram. Estes apresentaram tamanhos de pares de bases variando entre 113 e 250 bp. As análises demográficas mostraram um padrão de distribuição espacial agregado nas primeiras classes de distância, aleatório entre 40 e 50 m e segregado em distâncias mais elevadas. Dos 30 iniciadores ISSR testados, oito foram selecionados gerando um total de 102 locos, sendo 100 polimórficos. Entre os três estágios, os jovens apresentaram maior índice de diversidade genética de Nei (He = 0,37), já o menor índice foi observado nos adultos reprodutivos (He = 0,34). Os resultados da AMOVA mostraram maior diferenciação genética dentro dos estágios de desenvolvimento (98,61%) do que entre os estágios (1,39%). A população total (n = 161) apresentou relação positiva e significativa de parentesco na primeira classe de distância (12,3 m). Os jovens apresentaram parentesco significativo até 10,5 m e negativa na quinta classe de distância (37,6 m). Os adultos não reprodutivos tiveram relação positiva de parentesco na primeira classe de distância (10,9 m) e distribuição aleatória dos genótipos nas demais classes. Os adultos reprodutivos apresentaram genótipos distribuídos espacialmente de maneira aleatória. Os valores para os testes de gargalo genético demonstraram que o número de locos com excesso de heterozigosidade observado foi maior que o esperado. Os resultados da EGE refletem a dispersão restrita da espécie e os testes de gargalo a redução de genótipos provocados pela antropização dos ambientes naturais de C. prunifera.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1715697 - FABIO DE ALMEIDA VIEIRA
Interno - 2075596 - CRISTIANE GOUVÊA FAJARDO
Interno - 1605704 - SIDNEY CARLOS PRAXEDES
Notícia cadastrada em: 10/09/2015 09:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao