Banca de DEFESA: KÁTIA SIMONNE OLIVEIRA DIAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KÁTIA SIMONNE OLIVEIRA DIAS
DATA : 30/05/2023
HORA: 14:30
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:

TELETRABALHO: desafios e perspectivas, segundo a percepção dos gestores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN


PALAVRAS-CHAVES:

teletrabalho, gestores, serviço público, pandemia, Covid-19, IFRN.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

O teletrabalho, modalidade de trabalho flexível, despontou como opção de regime laboral em processo de disseminação e aceleração crescentes em diversos países, dentre eles o Brasil, em decorrência do surgimento da pandemia de Covid-19, decretada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) no início de 2020, que impôs medidas de prevenção ao contágio, sendo uma das principais o distanciamento social. Assim, o objetivo da presente pesquisa é analisar a percepção dos gestores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) sobre a experiência no regime de teletrabalho, adotado em razão da pandemia de Covid-19, buscando evidenciar os desafios vivenciados e perspectivas diante da implementação permanente dessa modalidade. A pesquisa, de natureza aplicada, com abordagem quali-quantitativa, classifica-se como descritiva e exploratória, constituindo-se um estudo de caso. Aplicou-se questionários eletrônicos à população dos gestores do instituto, com amostragem probabilística simples, e realizou-se entrevistas, com amostragem do tipo intencional. No alinhamento da abordagem definida, a análise dos dados coletados foi realizada através de estatística descritiva e da análise de conteúdo, sendo encontrados 77 núcleos de sentido (códigos), agrupados em três grandes categorias: A Gestão do Teletrabalho, Teletrabalho e Vida Pessoal e Perspectivas para o Futuro. Os resultados apontaram, no âmbito geral, o retrato de uma experiência difícil, porém desafiadora e com grandes aprendizados adquiridos durante o isolamento na pandemia de Covid-19. Dificuldades na gestão do tempo, na conciliação do trabalho e vida pessoal, na gestão de equipes à distância e na comunicação com os pares foram alguns dos principais desafios relatados pelos gestores do IFRN. Alguns aspectos positivos ressaltados no estudo foram a melhoria da produtividade (individual), o fortalecimento dos laços familiares e aumento da motivação. As perspectivas para o futuro são otimistas: a maioria acredita que será uma mudança positiva para o instituto, apostam no modelo híbrido, e defendem a necessidade constante de capacitações voltadas não só para a equipe em teletrabalho, mas também treinamentos específicos para os gestores de equipes à distância. O intuito deste estudo é servir de base para consulta e fomento de novas discussões sobre o teletrabalho no âmbito das instituições de educação, que ainda vivenciam um momento inicial no processo de disseminação e popularização do teletrabalho, além do registro dessa vivência num cenário tão desafiador e singular que foi o período pandêmico da Covid-19. Experiências difíceis vivenciadas, mas com resultados positivos, foram descortinadas através da presente pesquisa, e podem servir de inspiração para os novos desafios que estão surgindo durante o processo de implementação permanente do teletrabalho no IFRN.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANA CAROLINA KRUTA DE ARAUJO BISPO - UFPB
Presidente - 2290876 - ANTONIO ALVES FILHO
Interna - 6350673 - MARIA TERESA PIRES COSTA
Notícia cadastrada em: 17/05/2023 10:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao