Banca de DEFESA: FRANCISCO REGINÁRIO GOMES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO REGINÁRIO GOMES DA SILVA
DATA: 14/04/2014
HORA: 15:00
LOCAL: NEPSA
TÍTULO:


O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NAS ORGANIZAÇÕES POLICIAIS CIVIS DO BRASIL: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS SERVIDORES


 


PALAVRAS-CHAVES:

Estratégia; Planejamento Estratégico; Segurança Pública; Polícia Civil; Percepção dos resultados.


PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Administração Pública
RESUMO:

O planejamento estratégico tem se mostrado uma ferramenta importante para a consecução dos resultados pretendidos por qualquer organização, seja ela, pública ou privada. Esta dissertação busca investigar as práticas relativas ao processo de planejamento estratégico sob a ótica dos servidores policiais civis do Brasil. Fundamenta-se num referencial teórico que discute o novo paradigma pós-burocrático ou o gerencialismo no Brasil, a estratégia, a gestão estratégica, o planejamento estratégico (PE), trazendo algumas abordagens e etapas do seu processo, o BSC e o PES como abordagens mais utilizadas nas organizações públicas, o Sistema de Justiça Criminal, a Segurança Pública e a Polícia Civil ou Polícia Judiciária no Brasil. A pesquisa é aplicada, com propósito descritivo e abordagem quantitativa. Os dados foram coletados através de pesquisa de campo, pelo procedimento survey, mediante questionário estruturado, construído na ferramenta Google Drive e enviado link, via internet, para obtenção das respostas dos servidores das policiais civis brasileiras. No tratamento das informações foram utilizadas as análises estatísticas descritivas, fatorial e de regressão múltipla, através do software SPSS. Os resultados mostram que: as organizações policiais civis brasileiras, quanto a sua fundação, estão divididas entre as centenárias e as que foram criadas a partir da década de 1950, até os dias atuais; na percepção dos servidores, em sua maioria, os que atuam na atividade investigativa, a adoção do PE é fundamental para a consecução dos resultados almejados e que as organizações pretendem aderir à ferramenta nos próximos anos; essa participação preponderante dos integrantes da atividade-fim demonstra a mudança de interesse pela temática, ampliando-se para além daqueles que atuam somente na atividade-meio (gestão), o que pode reforçar a institucionalização do processo; para as organizações que já aderiram ao PE, as áreas mais complexas para planejar são as de finanças e de recursos humanos e que o nível de dificuldade da sua aplicação é de moderado a muito alto; aumentar a legitimidade social e a eficiência na conclusão dos procedimentos operacionais são os principais motivos que levaram à adoção do PE; no tocante às etapas de elaboração do processo de PE (elaboração, implantação, avaliação e controle e ação corretiva), relacionando-se com a percepção de resultados que desenvolvem e que legitimam a organização, tanto em conjunto quanto individualmente em sua composição, as etapas analisadas melhor explicam os resultados que legitimam a organização. Conclui-se assim que a ferramenta PE, na percepção dos servidores das polícias civis do Brasil, deve ocasionar melhores resultados para as organizações, legitimando-as e aumentando o capital político dos governantes e, com isso, maximizando os investimentos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ISABELLA FRANCISCA GOUVEIA DE VASCONCELOS - FGV
Externo ao Programa - 1149367 - MANOEL VERAS DE SOUSA NETO
Presidente - 349130 - MIGUEL EDUARDO MORENO ANEZ
Notícia cadastrada em: 07/04/2014 09:25
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao