Banca de DEFESA: CARLA TATIANE PEREIRA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARLA TATIANE PEREIRA SILVA
DATA : 30/03/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Realizada por videoconferência
TÍTULO:

ESTUDO TAXONÔMICO DE ENTOMOBRYOIDEA (COLLEMBOLA, HEXAPODA) EM UMA ÁREA DE CERRADO NO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Chapada dos Guimarães, Entomobryidae, Fauna edáfica, Paronellidae, Região Neotropical, Taxonomia.


PÁGINAS: 88
RESUMO:

Os colêmbolos são hexápodes de tamanho reduzido que vivem em diversos habitats, especialmente no ambiente edáfico úmido. Existem aproximadamente 9.200 espécies nominais de colêmbolos no mundo, sendo a maioria encontrada nas regiões de clima temperado, mas é evidente o déficit de cobertura dos estudos taxonômicos em regiões tropicais. A ordem Entomobryomorpha é a mais diversa de Collembola, apresentando quase 4000 espécies descritas. Também abriga a maior superfamília da classe, Entomobryoidea, que possui ampla distribuição e é constituída por três famílias: Orchesellidae, Entomobryidae e Paronellidae. No Brasil há registros de 445 espécies distribuídas em todas as regiões, com a maior concentração de espécies pertencentes à Mata Atlântica e Floresta Amazônica. O Cerrado é o segundo maior bioma no Brasil, e embora seja um dos hotspots mundiais de biodiversidade, é subamostrado para a fauna de Collembola. Assim, este trabalho teve como objetivo realizar o primeiro estudo taxonômico da fauna de Entomobryoidea da Chapada dos Guimarães, Mato Grosso, Brasil. A coleta foi realizada em 12 pontos utilizando armadilhas do tipo pitfall durante dois dias. O material biológico foi armazenado em álcool a 70% e foi triado e montado para identificação e estudo morfológico. Os espécimes representantes de novas espécies foram desenhados e descritos seguindo literatura específica. Foram identificadas quatro espécies de Entomobryoidea no estudo, todas novas para a ciência: Trogolaphysa sp. nov., Entomobrya sp. nov., Salina sp. nov. e Seira sp. nov. Os quatro táxons são similares a outras espécies neotropicais de seus respectivos gêneros, mas apresentam morfologia distinta quanto à quetotaxia dorsal, quetotaxia do colóforo e/ou morfologia do complexo empodial. Apesar de ser mais comum em ambientes florestais úmidos, E. sp. nov. é o primeiro registro do gênero para o domínio do Cerrado. Os dados representam um acréscimo de 28,5% no número de espécies previamente reconhecidas para o Cerrado brasileiro e sugerem que o domínio deve possuir rica, e ainda desconhecida, fauna de Collembola. Portanto, inventários, estudos ecológicos e biogeográficos, principalmente em unidades de conservação, são necessários
para conservação e compreensão da distribuição do grupo dentro do Cerrado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1879211 - BRUNO CAVALCANTE BELLINI
Externa ao Programa - 1715271 - RENATA ANTONACI GAMA
Externo à Instituição - RONIERE ANDRADE DE BRITO - UEPB
Notícia cadastrada em: 10/03/2021 12:02
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao