Banca de QUALIFICAÇÃO: LUANA ADALICE BORGES DE ARAUJO LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUANA ADALICE BORGES DE ARAUJO LIMA
DATA : 11/09/2023
HORA: 15:15
LOCAL: https://meet.google.com/cxs-krta-dry
TÍTULO:

ESTUDO COMPORTAMENTAL E ELETROENCEFALOGRÁFICO DA RESPOSTA GO E NO/GO EM TAREFA MOTORA DURANTE AS FASES DO CICLO MENSTRUAL


PALAVRAS-CHAVES:

Ciclo menstrual, inibição motora, processamento motor, go/no-go, EEG, alpha, beta, tempo de reação, acurácia, tomada de decisão


PÁGINAS: 67
RESUMO:

Há evidências de que os hormônios sexuais femininos influenciam a neurotransmissão no sistema nervoso central, afetando a qualidade do desempenho em tarefas motoras, destacando a importância da inibição e do controle motor no comportamento humano. O presente estudo investigou se a atividade cortical e medidas comportamentais são apresentadas de modo diferente nas fases do ciclo menstrual (menstrual, folicular e luteal) em 30 mulheres durante o Protocolo Go/No-Go. Esse teste inclui pares de estímulos auditivos que foram agrupados em dois tipos gerais: centrado em S1 e centrado em S2. Na tarefa centrada em S1, a decisão é tomada após S1 e a execução/inibição motora ocorre após S2. Nas tarefas centradas em S2, a tomada de decisão e execução ou inibição ocorre somente após S2. A atividade cortical foi registrada por meio de eletroencefalografia (EEG) e analisados os ritmos alpha (8-13Hz), beta (15-30Hz) e beta 1 (15-23Hz), para as regiões frontal medial (Fz) e central esquerda (C3). A análise da resposta comportamental, revelou diferença significativa no tempo de reação e acurácia entre os protocolos centrados em S1 e S2, mas sem qualquer interação entre as fases do ciclo menstrual. Foram demonstradas mudanças na atividade cerebral, com reduções nos ritmos alpha e beta após a decisão de prosseguir com o movimento (condição go) e sincronização beta 1 após a decisão de inibir o movimento (condição no-go). A geração da ERS beta durante a iniciação do movimento na região frontal medial indica um possível controle da inibição motora e essa comunicação parece decorrer dos baixos níveis de HSFs como ocorre na fase menstrual. Além disso, as oscilações beta e alpha na região central esquerda parecem ser moduladas pelas variações dos hormônios sexuais, sendo mais acentuadas nas fases folicular e luteal. Isso sugere uma influência positiva do estradiol e progesterona no processamento e execução de tarefas motoras. Em resumo, este estudo pioneiro evidencia variações na cognição motora ao longo do ciclo menstrual em tarefas Go/No-Go, que poderão ter implicações na otimização do desempenho motor e na reabilitação de mulheres durante o período reprodutivo, fornecendo uma base importante para futuras pesquisas e intervenções clínicas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1243905 - DRAULIO BARROS DE ARAUJO
Interna - 1871878 - KERSTIN ERIKA SCHMIDT
Presidente - 6346130 - MARIA BERNARDETE CORDEIRO DE SOUSA

Notícia cadastrada em: 09/09/2023 19:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao