Banca de DEFESA: RAFAEL DOS SANTOS DE BESSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAEL DOS SANTOS DE BESSA
DATA : 06/04/2023
HORA: 13:00
LOCAL: https://meet.google.com/cpg-dees-xnz
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DA PRODUÇÃO VOCAL ULTRASSÔNICA NEONATAL INDUZIDA POR SEPARAÇÃO MATERNA E AVALIAÇÃO DE SUA VALIDADE COMO BIOMARCADOR DA ATIVIDADE EXPLORATÓRIA AO DESMAME EM UM MODELO ANIMAL DE AUTISMO


PALAVRAS-CHAVES:

Autismo, desenvolvimento pós-natal, produção vocal, comportamento exploratório, aprendizagem de máquina



PÁGINAS: 158
RESUMO:

A comunicação durante a interação social é uma fator preponderante para a escolha da resposta comportamental mais adequada em cada situação. Ratos utilizam vocalizações na faixa do ultrassom (VUSs) para transmitirem informações sobre seu estado emocional e para iniciar e manter interações sociais. O repertório vocal observado em animais adultos deriva do desenvolvimento e da maturação de vocalizações inatas de animais neonatos, as chamadas VUSs de 40-kHz. Essas VUSs são emitidas principalmente durante situações de estresse e são capazes de evocar na mãe uma resposta de aproximação ao filhote e cuidado parental. Entender como as propriedades acústicas e os padrões de emissões se modificam a medida que o animal amadurece pode ajudar a identificar potenciais biomarcadores de transtornos do desenvolvimento, como o autismo. Neste estudo, analisamos as propriedades acústicas e o padrão de emissão de VUSs de 40 kHz induzidas por isolamento materno de ratos neonatos durante as três primeiras semanas de vida. Também investigamos os efeitos da exposição pré-natal ao ácido valpróico (VPA) sobre a produção vocal. Nossos resultados mostram uma redução das emissões em animais VPA e alterações nas propriedades acústicas e nos padroẽs de emissão em comparação aos animais controle. Ao aplicar duas técnicas distintas de classificação, uma rede de convolução neural (RCN) e um modelo de mistura de gaussianas (MMG), para separar espectro-temporalmente as VUS, encontramos nos animais com fenótipo autista uma redução significativa da variedade de classes emitidas. A complexidade das emissões, quantificada pelo grau de possibilidades de transições entre as VUSs, também está dramaticamente reduzida nesses animais, indicando um repertório vocal empobrecido em relação aos controles. Ao final da terceira semana pós-natal, quando os animais foram desmamados, avaliamos os comportamentos exploratórios durante o teste de campo aberto. Os animais tratados com VPA apresentam redução destes comportamentos comparados aos controles. Análises comportamentais mostraram uma correlação positiva entre VUSs com modulação da frequência e comportamentos exploratórios durante o teste de campo-aberto, em contraste com uma correlaçao negativa entre VUSs não-moduladas e tais comportamentos. Por fim, concluímos que ratos expostos ao VPA apresentam alterações no desenvolvimento vocal, caracterizado não apenas por uma redução quantitativa de sua produção vocal mas também por padrões biocaústicos e dinâmicas de vocalização alteradas, que se correlacionam com comportamentos pós-desmame.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1698305 - RODRIGO NEVES ROMCY PEREIRA
Interno - 3086031 - DANIEL YASUMASA TAKAHASHI
Externo à Instituição - RAFAEL NAIME RUGGIERO - USP
Externo à Instituição - CLEITON LOPES AGUIAR - UFMG
Externa à Instituição - REGINA HELENA DA SILVA - UNIFESP
Notícia cadastrada em: 24/03/2023 02:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao