Banca de DEFESA: ÍTALO VALE MONTE JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ÍTALO VALE MONTE JÚNIOR
DATA : 25/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CT
TÍTULO:

INFLUÊNCIA DO AGREGADO RECICLADO DE CONCRETO NO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE ARGAMASSAS MISTAS PARA USO EM REVESTIMENTO


PALAVRAS-CHAVES:

: Resíduo da construção civil. Agregado reciclado de concreto. Argamassa. Desempenho.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

A atividade da construção civil promove um grande passivo ambiental devido ao elevado consumo de recursos naturais não renováveis e energia, além de gerar grandes volumes de resíduos sólidos que muitas vezes são destinados inadequadamente. Desse modo, a utilização dos resíduos sólidos de construção e demolição (RCD) como agregado reciclado torna-se uma alternativa viável para mitigar o impacto da construção civil ao meio ambiente. O agregado reciclado de concreto (ARC), especialmente, a fração grossa (ARCG) com diâmetro maior do que 4 mm, apresenta qualidade superior aos agregados reciclados misto, podendo ser utilizado na produção de novos concretos. Por outro lado, a fração fina (ARCF) com partículas menores do que 4 mm contém maior teor de argamassa aderida ao grão de ARC e apresenta qualidade inferior ao ARCG, restringindo sua utilização em novos concretos e/ou argamassas. Assim, o objetivo dessa pesquisa é avaliar o comportamento de argamassas para revestimento com a substituição do agregado natural (AN) por resíduo de concreto (ARCF). A partir de um planejamento experimental, avaliou-se a relação cal/cimento (de 0,3 a 1,7) e a substituição do AN por ARCF (de 15 a 85 %), na produção de 14 argamassas, sendo 9 delas com ARCF e 5 de referência, padronizando o perfil granulométrico dos AN e ARCF, a relação ligante/agregado em 1:3 e o índice de consistência em 260 mm. Inicialmente avaliou-se as características físicas, químicas, mineralógicas e microestruturais dos agregados por análises da massa unitária, massa específica, granulométrica a laser, BET, FRX, DRX e MEV, além da Abrasão Los Angeles, teor de argamassa, absorção de água e índice de atividade pozolânica para o ARCF. Em seguida, avaliou-se as propriedades das argamassas nos estados anidro, plástico e endurecido - através dos ensaios de granulometria por peneiramento, massa unitária, densidade de massa, índice de consistência, variação de massa, absorção de água por capilaridade e imersão, resistências à tração na flexão e compressão, módulo de elasticidade dinâmico, resistência de aderência e índice de fissuração. Constatou-se que os valores médios do teor de argamassa (31 %), perda por abrasão Los Angeles (30 %), absorção de água (15 %) e densidade (1,09 g/cm³), no ARCF, assemelham-se às indicações da literatura. Nas argamassas ocorreram uma redução da densidade de massa com o aumento do ARCF que também contribuiu para o aumento das resistências à tração na flexão, compressão e módulo de elasticidade. Sem indicação de fissuras aos 56 dias de cura, nas argamassas com ARCF, a resistência de aderência obteve valores mínimos aceitáveis (0,3 MPa) para revestimento, porém não apresentaram significância estatística a 95 % de confiança.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA CECILIA VIEIRA DA NOBREGA - UFPE
Externo ao Programa - 671.403.354-00 - KLEBER CAVALCANTI CABRAL - UFERSA
Presidente - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Notícia cadastrada em: 15/08/2017 11:18
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao