Banca de QUALIFICAÇÃO: RONALDO ALENCAR DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RONALDO ALENCAR DOS SANTOS
DATA: 24/07/2013
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões do DCS
TÍTULO:

NATUREZA E CAPITALISMO: Os paradigmas da relação homem-natureza na sociedade de consumo


PALAVRAS-CHAVES:

Modo de Produção Capitalista. Ecologia em Marx. Materialismo Histórico Dialético. Economia Ecológica. Sociedade de Consumo.


PÁGINAS: 37
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

Aborda-se, em uma pesquisa de cunho teórico, que o homem é responsável direto pelas modificações feitas no meio ambiente e na produção dos problemas ambientais hodiernos. Entende-se que a degradação ambiental produzida pelo homem na atualidade está indissociavelmente ligada a forma de organização social específica: o modo de produção capitalista. A partir da compreensão da sociedade capitalista, ou seja, uma forma de sociedade cuja organização das relações sociais ocorre a partir do modo de produção capitalista, e na perspectiva da relação de apropriação e mercadorização da natureza por esta sociedade, deve-se buscar a explicação para a destruição ambiental. Sob esta perspectiva questiona-se: É possível explicar, através do materialismo histórico dialético, os limites naturais do crescimento econômico do sistema histórico do modo de produção capitalista? Até que ponto a "crise ecológica" poderia ser considerada uma crise no desenvolvimento do próprio sistema capitalista? Defende-se a hipótese da existência de uma alienação estrutural, na relação do homem com a natureza, produzida pelo sistema histórico do modo de produção capitalista, que terá como consequência a implicação desta relação numa extimidade entre ambos. O sujeito através do metabolismo social gerado a partir do trabalho, processo de transformação da natureza, transforma sua própria natureza, e com isso não consegue mais se entender como parte do meio natural onde vive. Em consequência deste distanciamento estrutural, o traço peculiar desta alienação vem à tona, manifesto no fato de que o homem somente reconhecerá o meio ambiente através da sua exteriorização na forma de mercadoria.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2475502 - ITAMAR DE MORAIS NOBRE
Externo à Instituição - JACQUELINE CUNHA DA SERRA FREIRE - UNILAB
Presidente - 346708 - VANIA DE VASCONCELOS GICO
Notícia cadastrada em: 18/07/2013 14:44
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao