Banca de DEFESA: ROBERTO ANTÔNIO DE SOUSA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROBERTO ANTÔNIO DE SOUSA DA SILVA
DATA: 05/07/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório de Antropologia (Sala C-5 do Setor II)
TÍTULO:

Maracatus Solar e Reis de Paus: tradição e modernidade no carnaval de rua em Fortaleza


PALAVRAS-CHAVES:

Maracatu; Mídia; Globalização.


PÁGINAS: 202
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
SUBÁREA: Antropologia Urbana
RESUMO:

Trata-se de um estudo etnográfico e comparativo dos Maracatus Solar (2006) e Reis de Paus (1960), cujo objetivo foi verificar o que existe de antigo e tradicional no novo maracatu praticado pela agremiação Solar e, em contrapartida, o que existe de novo ou moderno no velho maracatu ritualizado pela agremiação Reis de Paus. Cabe ressaltar que por meio deste estudo de caso pretendeu-se também observar etnograficamente e compreender melhor os processos de rupturas e continuidades entre modernização e tradição e a relação entre o global e o local. O sistema de comunicação, a dança, a música, as vestimentas e as loas (letras) foram analisados com o uso da técnica da observação participante e também de materiais secundários, como jornais, blogs e revistas. As entrevistas foram abertas, não diretivas, mas gravadas para facilitar a compreensão das falas dos brincantes. A pesquisa mostrou que todos os elementos simbólicos de expressão estética do maracatu são permeados de disputas de sentido, de confrontos de contextos históricos e de representação política, que, em outra instância, enunciam também uma luta da resistência microcomunitária em relação à renovação e ao processo de desenvolvimento social que assolam as megalópoles modernas. É nesse ínterim entre modernidade e tradição que se pode falar hoje sobre a existência de identidade híbrida no maracatu em relação a um contexto mediado pelo global acima dos valores e costumes particulares das novas gerações. Entretanto, não se pode negar que as formas de negociações com a modernidade requerem também o estabelecimento de um vínculo com a singularidade específica de uma cultura popular que não se exclui, mas também não deve se deixar invadir pela ideia de autenticidade. Portanto, realizar este estudo foi acima de tudo uma oportunidade para compreender também a vida comunitária na periferia da cidade, entender a sociedade, a cultura e as relações sociais cotidianas mantidas entre os seres humanos que produzem e fazem tudo isso acontecer.  O Solar e o Reis de Paus não se unem pela oposição existente entre si nem tampouco pela similaridade. O que é mais marcante entre ambos é a renovação de uma tradição que se reinventa em forma de representação popular através do desfile de rua.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALEXANDRE ALMEIDA BARBALHO - UECE
Interno - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Interno - 1352037 - EDMILSON LOPES JUNIOR
Presidente - 6348127 - JOSIMEY COSTA DA SILVA
Externo à Instituição - SIMONE LUCI PEREIRA - ESPM
Notícia cadastrada em: 04/07/2013 16:55
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao