Banca de DEFESA: DANIEL IBERÊ ALVES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIEL IBERÊ ALVES DA SILVA
DATA: 03/09/2012
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório A do CCHLA
TÍTULO:

IIRSA: Outro passo na pilhagem, exploração e desintegração dos povos e territórios sul-americanos


PALAVRAS-CHAVES:

IIRSA; Estado; Desenvolvimento; Complexo Hidrelétrico.


PÁGINAS: 350
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
SUBÁREA: Sociologia do Desenvolvimento
RESUMO:

A então denominada Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-americana (IIRSA) é um acordo multinacional realizado entre 12 países da América do Sul, desde o ano de 2000, materializado através de 10 eixos de comercialização voltados para a construção de diversos projetos de infraestrutura, que compreendem a construção de uma gigantesca rede energética de comunicação e transportes. Tais projetos têm sido financiados principalmente por organismos multilaterais (BID, CAF, FONPLATA) aprofundando a dependência econômica e política dos países envolvidos, principalmente pelo aumento das dívidas externas, garantindo às empresas transnacionais a infraestrutura necessária para a exploração mais acentuada de nossos recursos naturais e da mão de obra barata, afiançando o abastecimento de seus mercados. Neste sentido, o discurso de crescimento econômico regional criará os mecanismos necessários para a reprodução ampliada do sistema capitalista, promovendo a liberalização dos mercados internacionais, tal como buscam os Estados Unidos através da área de Livre Comércio das Américas. É, na realidade, um “Desenvolvimento Regional” dos países do Norte, um plano estratégico de “ordenamento” territorial construído pelas transnacionais e ditado pelo imperialismo norte-americano. Sob a gerência do governo brasileiro tem sido implementado sigilosamente, de modo que os chefes de Estado, sem nomeá-lo, executam seus planos de desenvolvimento nacionais como parte integrante desta tão evidente estratégia de saqueio, entusiasmados e convencidos de que serão generosamente gratificados. Anunciam e inauguram obras de infraestrutura que as corporações multinacionais e transnacionais consideram indispensáveis para a pilhagem dos recursos naturais ainda remanescentes, após cinco séculos de exploração continuada da América Latina. Neste sentido, nossa pesquisa volta-se para a análise dos setores energéticos dos dois eixos principais: o Eixo do Amazonas e o Eixo Peru-Brasil-Bolívia, por considerarmos de extrema importância para a manutenção da exploração e consolidação hegemônica das corporações multinacionais na América Latina, pois cerca de 40% da dívida externa contraída pelo Brasil junto aos bancos internacionais deve-se aos investimentos para viabilização da construção de barragens.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347248 - JOSE ANTONIO SPINELI LINDOZO
Interno - 1298988 - JOAO BOSCO ARAUJO DA COSTA
Externo à Instituição - ELANE ANDRADE CORREIA LIMA - UFBA
Notícia cadastrada em: 30/08/2012 15:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao