Banca de DEFESA: MARCELO KARLONI DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELO KARLONI DA CRUZ
DATA: 29/09/2011
LOCAL: Auditório D do CCHLA
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO, POBREZA E MEIO AMBIENTE NO SERIDÓ POTIGUAR: Um estudo centrado nas micro-regiões do Seridó Oriental e Ocidental


PALAVRAS-CHAVES:

Desenvolvimento. Pobreza. Meio-Ambiente.


PÁGINAS: 185
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

O presente trabalho de investigação propõe-se a realizar estudo centrado na dinâmica existente entre desenvolvimento, redução de pobreza e conservação de recursos naturais. Para o exame dessa relação à região escolhida foi a micro-região do Seridó oriental e ocidental, no Estado do Rio Grande do Norte. Em anos recentes, diversos estudos (ARAÚJO, 2011; BASTOS, 2009), têm apontado que após período de crise de seu tripé econômico-produtivo, formado pelas atividades de pecuária, cotonicultura, mineração e enfrentada nos anos oitenta, essa região do Estado do Rio Grande do Norte, tem mostrado sinais não só de recuperação econômica, mas também de melhoria de seus indicadores sociais. Por outro lado, estudos como o panorama de desertificação do Estado do RN (produzido em cooperação entre o Governo do Estado do RN e instituições de pesquisa) e o Plano de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (ADESE, 2000), indicam que há em curso um franco processo de degradação de seus recursos naturais que é capaz de comprometer a capacidade de sustentação desse sistema. Para verificação dessa realidade e constatação provável dessa relação, este trabalho, adota-se para esse estudo, a análise de evolução dos dados secundários de órgãos oficiais como o IBGE sobre IDH, renda per capita e demais indicadores de sociais entre os anos de 2000 e 2009. Segue-se em outro momento da pesquisa a análise de dados de natureza qualitativa, coletados em entrevistas realizadas com instituições de intervenção de natureza acadêmica, pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); órgãos do Estado que tratam a questão do Meio-Ambiente no Seridó: Instituto de Desenvolvimento Sustentável do RN (IDEMA) e Instituto Brasileiro de Meio-Ambiente e da Amazônia Legal (IBAMA) e instituições de intervenção direta na região, como a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (ADESE) e Articulação do Semi-Árido (ASA). Após o cruzamento dos dados de natureza quantitativa e qualitativa, constatou-se que a dinâmica econômica da região do Seridó Potiguar, responde parcialmente na melhoria dos indicadores sociais de pobreza. Contribuição essa compartilhada pelo Estado nas ações de transferência de renda. No que se refere a influência da reestruturação produtiva da região nas questões de meio-ambiente, assinala-se que a indústria ceramista, responsável pela absorção de percentual da população com ingresso limitado na economia urbana, dado o baixo de escolaridade, responde pelo intensificar da susceptibilidade ao processo de desertificação em curso no Seridó norte-rio-grandense. Conclui-se por fim que a Garantia de ampliação de renda, liberdades e conservação de recursos naturais assegura-se primeiramente pelo alterar das crenças e valores, sobretudo de parte do setor empresarial, que se utilizam dos recursos naturais de modo predatório, visando a manutenção de suas taxas de retorno de investimento. E de modo concomitante, pela sincronização entre as mudanças tecnológicas, por meio do uso de novas fontes de energia, e as mudanças institucionais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1121285 - FERNANDO BASTOS COSTA
Interno - 1298988 - JOAO BOSCO ARAUJO DA COSTA
Externo ao Programa - 1674566 - WAGNER DE SOUZA LEITE MOLINA
Externo à Instituição - CID OLIVAL FEITOSA - UFAL
Notícia cadastrada em: 27/09/2011 09:51
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao