Banca de DEFESA: LUCAS FORTUNATO REGO DE MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUCAS FORTUNATO REGO DE MEDEIROS
DATA : 23/08/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório C do CCHLA
TÍTULO:
Critical Art Ensemble: A Máquina de Guerra e os Arsenais Antropotécnicos da Revolta

PALAVRAS-CHAVES:

Critical Art Ensemble; Arte-Revolta; Micropolítica da Criação; Arsenais Antropotécnicos; Máquina de Guerra Artística.


PÁGINAS: 316
RESUMO:

Esta pesquisa versa sobre arte e -política contemporâneas. O objeto de análise que dará acesso privilegiado às atuais relações estabelecidas entre arte e política é o coletivo Critical Art Ensemble (CAE), um grupo de artistas e ativistas dos Estados Unidos que há três décadas tem se dedicado a produzir uma arte com forte teor político. Nesta Tese, o CAE é considerado um dos expoentes da arte-revolta, conceito construído por meio de uma nomadologia da arte contemporânea que busca rastrear as experiências da revolta artística ao longo da história moderna. Segundo o argumento defendido nesta pesquisa, as vanguardas do século XX, ao se contraporem igualmente ao espetáculo e ao estado, construíram uma máquina de guerra para a qual a arte é política continuada por outros meios. Em sua rica história, as linhagens da arte-revolta inventaram diversas matrizes de ação que se oferecem às novas gerações como táticas de intervenção criativa na esfera pública normalmente dominada pelas instâncias políticas institucionais. Nas décadas recentes, a convergência das práticas artísticas com as lutas políticas desencadeou a emergência de micropolíticas da criação, assim denominadas toda sorte de ações individuais e coletivas que se ocupam deliberadamente da inovação e da invenção na arena da cultura. Por meio de mídia tática, performances, intervenções, ações diretas criativas, arte socialmente engajada, uma multiplicidade de grupos dão vida à resistência cultural no interior das sociedades capitalistas. Prolongando no presente o ímpeto da arte-revolta, o Critical Art Ensemble opera uma máquina de guerra com os arsenais antropotécnicos da revolta elaborados ao longo de sua carreira, que abrangem teoria crítica engajada, plágio utópico, teatro recombinante, estética do distúrbio, mídia tática, resistência eletrônica e biologia contestatária. Da teoria crítica à resistência aos maiores complexos tecnopolíticos da atualidade, o CAE encampa sua guerrilha artística com determinação e inventividade. Com o objetivo de compreender o papel da arte-revolta no tempo presente, seus dilemas, suas táticas e possibilidades de ação, a pesquisa tomará a produção teórica e prática do Critical Art Ensemble como via de acesso e objeto de análise.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Interno - 008.055.544-67 - FAGNER TORRES DE FRANÇA - UFRN
Externo ao Programa - 1659071 - MARCIO ROMEU RIBAS DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - ARTEMILSON ALVES DE LIMA - IFRN
Externo à Instituição - PABLO MORENO PAIVA CAPISTRANO - IFRN
Notícia cadastrada em: 22/08/2019 14:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao