Banca de DEFESA: FÁTIMA LUCIA CARRERA GUEDES DANTAS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FÁTIMA LUCIA CARRERA GUEDES DANTAS
DATA : 28/06/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório C do CCHLA
TÍTULO:

POLÍTICA CULTURAL: A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ/AP – 2006-2016


PALAVRAS-CHAVES:

Política Cultural; Políticas Públicas; Avaliação de Políticas Públicas; Sistema Nacional de Cultura; Plano Nacional de Cultura.


PÁGINAS: 350
RESUMO:

A Política Cultural é o tema desta pesquisa e seu objeto é a implementação do Sistema Nacional de Cultura (SNC), no município de Macapá, estado do Amapá. O Sistema Nacional de Cultura (SNC), criado por lei específica – Art. 216-A da Ementa Constitucional nº 71, de 29 de novembro de 2012, é o principal articulador federativo do Plano Nacional de Cultura (PNC) que, por sua vez, estabelece mecanismos de gestão compartilhada entre os entes federados e a sociedade civil e determina as metas e diretrizes estratégicas para a qualificação das políticas públicas culturais no país. A pesquisa “Política cultural: a implementação do Sistema Nacional de Cultura no município de Macapá/AP, 2006-2016” teve como objetivo avaliar a implementação do Sistema Nacional de Cultura (SNC) no município de Macapá, estado do Amapá, num período de dez anos (2006 a 2016). Especificamente, os objetivos foram: a) comparar os resultados obtidos com a implementação realizada frente à decisão política formulada (a política) em seu início; b) avaliar as principais ações que nortearam a Política de Cultura no município de Macapá e o seu nível de integração e complementaridade à Política Nacional de Cultura (PNC), a partir dos princípios e valores que regem a PNC vigente; e, c), avaliar o envolvimento e participação dos agentes e grupos de interesse, buscando descobrir de que tipo são as relações e interelações estabelecidas que se apresentam com relevância e predomínio de lógica na realidade de Macapá. Metodologicamente, esta pesquisa consistiu de revisão bibliográfica da literatura pertinente à política cultural e às políticas públicas e suas abordagens avaliativas que incidem no denominado ciclo de políticas públicas, especificamente, sobre a fase da implementação e, sob uma perspectiva sistêmica do processo, pela importância que o conceito de sistemas adquire nos estudos organizacionais. Considerando a acepção conceitual do Ministério da Cultura sobre as dimensões da cultura – simbólica, cidadã e econômica – esta pesquisa buscou absorver, no universo pesquisado, uma percepção das três. A pesquisa de campo foi efetuada por meio de entrevistas e consultas a dois prefeitos, do período em questão; sete gestores da cultura, em dois níveis hierárquicos (nível de coordenação de órgão e nível técnico-operacional), e, dentre esses, foi considerada área fim e área meio; artistas e intelectuais da sociedade organizados em associações, coletivos e grupos, num total de dezesseis unidades representativas; e, duas entidades privadas de prestação de serviço ao público, Sesc e Sebrae. O resultado obtido com a pesquisa demonstrou que a política de cultura de Macapá, de 2006 a 2008, ganhou certa autonomia com a transformação de um departamento vinculado à Secretaria Municipal de Educação e Cultura e passou a ser Coordenadoria Municipal de Cultura (COMCULT) e, embora a cultura tenha se constituído como “carro chefe” na vontade política dessa gestão e se apresentar empática à diversidade cultural, não foi implementada nos moldes do SNC. Na gestão posterior, de 2009 a 2012, uma contradição é enfática: a Comcult ascendeu à Fundação Municipal de Cultura (FUMCULT), mas, na prática, a política de cultura sofreu uma total ruptura e suas marcas foram a descontinuidade e a ausência de formulação e vontade política. Em 2013, com a nova gestão municipal eleita, a Fumcult retoma a política de cultura já com a intenção inicial em favor de orientar-se pelo SNC. Até 2016, a política de cultura macapaense se encontrava em processo de implementação dos mecanismos regulamentares, a Lei do Sistema Municipal de Cultura – na qual a implantação do Sistema Municipal de Cultura (SMC) foi previsto, com a constituição de todos os seus mecanismos de ação – e, portanto, inferimos que o SNC e o SMC em Macapá, até 2016, se encontrava em processo inicial de implementação.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - JOAO BATISTA DE MORAIS NETO - IFRN
Presidente - 1298988 - JOAO BOSCO ARAUJO DA COSTA
Externa ao Programa - 635.183.414-72 - MARIA APARECIDA RAMOS DA SILVA - NENHUMA
Externo ao Programa - 3508635 - RUY ALKMIM ROCHA FILHO
Externo à Instituição - VANDERLAN FRANCISCO DA SILVA - UFCG
Notícia cadastrada em: 05/06/2019 10:46
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao