Banca de DEFESA: ANDRÉ AUGUSTO DE PAULA BARBIERI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDRÉ AUGUSTO DE PAULA BARBIERI
DATA : 19/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório B do CCHLA
TÍTULO:

Fim de ciclo do governo pós-neoliberal no Brasil: o PT, o Estado e o golpe institucional


PALAVRAS-CHAVES:

América Latina; Governos pós-neoliberais; Brasil; Golpe institucional; Dilma Rousseff; Luiz Inácio Lula da Silva; Partido dos Trabalhadores.


PÁGINAS: 220
RESUMO:

A América Latina vive um “fim de ciclo” dos governos chamados “progressistas” ou “pós-neoliberais”. Esse conjunto heterogêneo de forças políticas chegou aos postos de governo fruto do desgaste dos partidos neoliberais nos anos 1990 e da crise econômica latinoamericana de início dos anos 2000. Forças políticas que se autodenominavam “nacional e populares” como o kirchnerismo na Argentina, o chavismo na Venezuela, o evomoralismo na Bolívia e o petismo no Brasil assumiram a presidência destes países com um programa de redistribuição de renda e inclusão social, com o objetivo de assimilar os movimentos de resistência à ofensiva neoliberal no seio de um programa de colaboração com o setor do empresariado nacional. O objetivo dessa pesquisa foi encontrar algumas das razões que explicam a reversão do quadro pós-neoliberal no Brasil, que resultou, ainda que num processo impregnado de contradições, no reposicionamento das forças políticas pertencentes ao espectro da direita neoliberal, após o golpe institucional de 2016, e a chegada de um governo de extrema direita em 2018, com o auxílio de operações autoritárias do poder judiciário e a tutela das Forças Armadas. Como método, fizemos um percurso pela concepção de Estado do PT desde a década de 1980, passando pela política tida em relação às classes sociais enquanto esteve no governo federal, em diálogo com alguns dos autores que também se dedicaram a estudar a práxis petista, até o golpe institucional que removeu Dilma Rousseff da presidência em 2016. Concluímos nessa pesquisa que o estudo sobre a questão do Estado à época de fundação do PT e em seus Encontros Nacionais na década de 1980, os pilares da política econômica nas administrações petistas – especialmente o crescimento da taxa de precarização e a terceirização do trabalho – e a política de ajustes dos últimos anos do governo Dilma Rousseff contribuíram ao fortalecimento das frações políticas que chegaram ao poder com o golpe institucional de 2016.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1517561 - GABRIEL EDUARDO VITULLO
Externo à Instituição - GONZALO ADRIAN ROJAS - UFCG
Interna - 053.966.074-40 - JÓRISSA DANILLA NASCIMENTO AGUIAR - UFRN
Notícia cadastrada em: 19/02/2019 11:01
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao