Banca de DEFESA: MARIA DAS GRACAS CAVALCANTI PEREIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA DAS GRACAS CAVALCANTI PEREIRA
DATA : 20/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório B do CCHLA
TÍTULO:

Avaliação da trajetória da Lei do RPV - Registro do Patrimônio Vivo no RN (2007-2017)


PALAVRAS-CHAVES:

Lei do RPV-RN (Registro do Patrimônio Vivo); Políticas Públicas; Avaliação; Patrimônio Imaterial; Tradição.


PÁGINAS: 180
RESUMO:

A avaliação em pesquisa científica e em documentos oficiais é reconhecida como instrumento integrante da gestão pública e como aprimoramento das políticas públicas, principalmente a partir da década de 1990. Esta pesquisa propõe-se justamente, à luz de uma reflexão sobre políticas públicas para a cultura, avaliar a trajetória da Lei do RPV- Registro do Patrimônio Vivo no RN, que concede bolsas vitalícias para grupos artísticos ou artistas que, com mais de 20 anos de atuação, detêm saberes pertinentes à produção e preservação de aspectos da cultura popular. A moldura conceitual adotada viabiliza a combinação de múltiplos aportes teóricos, possibilitando o entrelaçamento entre teoria e prática. Trata-se de uma abordagem qualitativa, delineada como estudo documental para avaliar a trajetória da Lei do RPV-RN, entre os anos de 2007 a 2017, seguindo algumas técnicas da avaliação de trajetória em Gussi (2008) e da avaliação de políticas públicas, em Figueiredo e Figueiredo (1986), Stake (1999), Draibe (2001), Silva (2001), dentre outros. Dada a complexidade do tema, outros domínios do conhecimento também foram convocados a respaldar a análise, como o aporte teórico-metodológico das Ciências Sociais, com reflexões em várias categorias, a exemplo da concepção de trajetória de Bourdieu (2003), para a objetivação das relações entre os agentes e as forças presentes no campo, além de outras categorias presentes na formulação da Lei, tais como a de cultura, tradição, memória e patrimônio imaterial, pautadas nas reflexões de vários autores. A pesquisa justifica-se por seu propósito maior de contribuir para a difusão e a preservação do patrimônio cultural imaterial no RN, derivando saberes para as gerações futuras, e mesmo assumindo a pretensão de não interferir nos modos de percepção dos implementadores dessa política preservacionista numa realidade particular como a que se coloca sob o enfoque desta avaliação. As conclusões a que se chega orientam  para a compreensão de que as determinações e contradições presentes na implementação do RPV−RN, evidencia os significados de sua essência para a construção do conhecimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349700 - LUIZ CARVALHO DE ASSUNCAO
Interno - 1149332 - LINCOLN MORAES DE SOUZA
Externo ao Programa - 1529290 - PAULA FERNANDA BRANDAO BATISTA DOS SANTOS
Externo à Instituição - ALCIDES FERNANDO GUSSI - UFC
Externo à Instituição - MÁRCIA DA SILVA PEREIRA CASTRO - UERN
Notícia cadastrada em: 05/06/2018 09:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao