Banca de DEFESA: SYLVANA KELLY MARQUES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SYLVANA KELLY MARQUES DA SILVA
DATA : 29/11/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório de Antropologia (Sala C5 do Setor II)
TÍTULO:

OS DISCURSOS FOTOGRÁFICOS DE CANINDÉ SOARES: ENTRE O TURISMO E A DEVOÇÃO (2004-2017)


PALAVRAS-CHAVES:

Discurso; Fotografia; Paisagem; Turismo; Enquadramento Espetacularizado.


PÁGINAS: 389
RESUMO:

Esta tese analisa os discursos fotográficos das paisagens turísticas de eventos do catolicismo registradas no interior do estado do Rio Grande do Norte pelo repórter fotográfico Canindé Soares. Para viabilizar a pesquisa selecionamos as fotografias documentais no banco de dados de órgãos oficiais, em livros e fotojornalismo do autor, também, entrevistas, visitas aos eventos em questão e aos locais registrados em fotografia. A escolha do objeto justifica-se pelos recortes fotográficos estarem inseridos em um cenário político de incentivo ao turismo no estado, ademais, para identificar as novas paisagens do Rio Grande do Norte como um espaço de confluências sociais mediatizadas pela instituição do turismo no Nordeste brasileiro. Nosso objetivo foi compreender os discursos enquadrados em fotografias que se configuram em aspectos culturais priorizados como parte dessas paisagens. Apreendemos a fotografia como imagem crítica para englobar os significados que legitimam e divulgam esses espaços religiosos em seu processo de caracterização enquanto atrações turísticas. A metodologia se dá através da arqueologia da impressão. A confluência da tríade: fotografia, paisagem e turismo aponta para o que está definido nesta tese por enquadramento espetacularizado, categoria que articulamos balizadas pelas reflexões de George Didi-Huberman e Guy Debord. Oenquadramento espetacularizado trata-se de um discurso permeado pela cumplicidade entre os elementos em questão que elaboram a paisagem e favorecem a perpetuação de visualidades que desenham o espaço transformando-o em espetáculo. Desse eixo desmembram-se questões que operam com a produção imagética capaz de nortear para o entendimento dos discursos que padronizam paisagens, naturalizando as relações socioespaciais. Consideramos que as paisagens elaboradas estão atreladas a ícones passados referenciadores da região que condicionam as visualidades no presente. Em tese verificamos que as paisagens potiguar, enquadradas no discurso fotográfico, dinamizadas a partir das políticas de turismo estão culturamente engendradas por um sintoma de visualidades pretéritas que espetacularizadas favorecem a manutenção de discursos hegemônicos em detrimento dos interesses plurais e democráticos. O que ocorre dá visibilidade a estereótipos pré-estabelecidos e afasta-se da possibilidade de um desenvolvimento baseado na economia interpretativa (Warren, 2017), capaz de favorecer a valorização do capital cultural local e a inclusão dos indivíduos locais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 336185 - DURVAL MUNIZ DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Interno - 1693229 - GILMAR SANTANA
Externo à Instituição - JONATHAN FREDERICK WARREN - UW
Externo à Instituição - LUIZ DEMÉTRIO JANZ LAIBIDA - SEED/PR
Presidente - 1117908 - MARIA LUCIA BASTOS ALVES
Notícia cadastrada em: 22/11/2017 17:12
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao