Banca de DEFESA: ARTEMILSON ALVES DE LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARTEMILSON ALVES DE LIMA
DATA : 06/11/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala G4 do Setor II
TÍTULO:

ESCALADAS DA CONTRACULTURA: Natal, década de 1980


PALAVRAS-CHAVES:

Contracultura. Natal. Cultura-revolta. Tensões verticais. Acontecimento de caráter modificador.


PÁGINAS: 231
RESUMO:

A contracultura é conhecida como um fenômeno da segunda metade do século XX. Suas origens remontam ao final da década de 1940, com os “uivos” da geração beat, cuja visibilidade começa na década de 1950. Porém o que se considera como sendo o estouro desse fenômeno, que acontece durante os anos de 1960, tendo, como principal vitrine, o Maio de 1968 na França, com desdobramentos na segunda metade da década de 1960 e durante a década de 1970 em alguns países da Europa e nos EUA, com a explosão do rock’in roll e do movimento hippie, influenciando gerações de jovens no mundo inteiro. No Brasil, a contracultura tem seu auge na década de 1970, com repercussões na década de 1980. Em ambos os contextos, a contracultura valeu-se da arte e da literatura, onde encontrou o ambiente mais fértil de expressão. Esta tese versa sobre alguns aspectos do ativismo intelectual e artístico em Natal, na década de 1980, como um fenômeno que se insere no contexto da expressão contracultural. Tomamos como principal referencial o conceito de contracultura em Roszack (1972), para quem a contracultura foi a forma de contestação à racionalização da sociedade tecnocrata que se consolida depois da Segunda Guerra Mundial, cujo traço principal é a excessiva racionalidade das relações econômicas e socioculturais em todos os âmbitos da vida nas sociedades Ocidentais e, ainda, em Goffman e Joy (2007), que reconhecem o período acima referenciado como o mais significativo; no entanto, optam por analisar a contracultura como um fenômeno próprio da cultura, independentemente do tempo e do espaço e usam o termo “contraculturas” para designar as inúmeras experiências de contestação e negação às estruturas do establishment, em diversas experiências históricas, chegando mesmo a considerá-la como uma tradição de ruptura. A narrativa das expressões contraculturais na cidade de Natal, na década de 1980, procura trazer à luz algumas manifestações da contracultura, quem eram os sujeitos, como se expressavam e interagiam os grupos de artistas que fizeram parte da contracultura na cidade de Natal durante a década de 1980. Para isso, recorre-se à pesquisa, fazendo ancoragem em parte significativa da produção artística e literária de alguns sujeitos tanto representados pelo individual, quanto pelo coletivo, situados no circuito contracultural da cidade no período em destaque. Apoia-se na concepção moriniana de acontecimento-de- caráter-modificador (MORIN, 2005), para narrar como essa experiência da contracultura constitui-se um fenômeno que incorpora a busca de expressão de uma cultura-revolta (KRISTEVA, 2000). Também adota como centralidade teórica a noção sloterdjikiana da antropotécnica, a partir da metáfora da escalada do monte improvável da cultura pelo estabelecimento das tensões verticais Sloterdjik (2013). Como uma narrativa da experiência contracultural natalense no período focalizado, conclui, em caráter provisório, que tal experiência, pode, com legitimidade, ser considerada como uma manifestação contracultural e, não obstante – como tantas outras em diferentes lugares –, faz parte de um movimento de transformação da cultura, que podemos situar nos marcos das teses defendidas pelos autores, isto é, como acontecimento-de- caráter-modificador, constitui parte de uma cultura-revolta que pode ser compreendida à luz do processo de resubjetivação dos sujeitos em seu exercício de ascese individual, que acaba por determinar as transformações na cultura.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1501788 - ALEXSANDRO GALENO ARAUJO DANTAS
Interno - 1298988 - JOAO BOSCO ARAUJO DA COSTA
Interno - 347048 - MARIA DA CONCEICAO XAVIER DE ALMEIDA
Externo à Instituição - JOÃO BATISTA DE MORAIS NETO - IFRN
Externo à Instituição - HERMANO MACHADO FERREIRA LIMA - UECE
Notícia cadastrada em: 06/11/2017 09:57
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao