Banca de DEFESA: JAIRO JOSÉ DOS SANTOS JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JAIRO JOSÉ DOS SANTOS JUNIOR
DATA : 26/05/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório C do CCHLA
TÍTULO:

O CONCEITO DE BULLYING ESCOLAR: um contraponto sociológico frente ao discurso hegemônico


PALAVRAS-CHAVES:

Bullying. Ideologia. Gênero. Discurso. Construcionismo crítico.

 


PÁGINAS: 99
RESUMO:

 

O fenômeno bullying constitui-se como uma forma de agressão interpessoal que já há algum tempo se tornou bastante reconhecida, debatida e problematizada por diversos estudiosos ou pelos meios de comunicação, devido principalmente à explosão global de massacres escolares, cuja autoria, na maioria das vezes, está atribuída a ex-alunos que outrora foram vítimas desta forma de intimidação. Na tentativa de compreender e apontar soluções para esta questão, diversos estudos e pesquisas acadêmicas emergiram primordialmente na década de 1980, tentando desde então estabelecer contornos precisos em torno da definição desta forma de agressão. A maioria destas interpretações e estudos se filia ao paradigma interpretativo proposto na década de 1980 pelo pesquisador sueco Dan Olweus (1978), pioneiro mundial e principal referência nos estudos sobre o tema bullying. O presente trabalho de dissertação problematiza este enfoque tradicional supracitado e debate sobre a necessidade de se romper com este monopólio interpretativo produzido, permitindo assim que outros saberes científicos possam adentrar na discussão deste tema e produzir novas maneiras de compreensão sobre o assunto. Desta forma, constitui-se como objetivo geral desta pesquisa problematizar criticamente o discurso hegemônico que celebra a questão do bullying e que anuncia suas “verdades” como se fossem as únicas possíveis e necessárias a serem aceitas. Além disto, é missão desta pesquisa apresentar um contraponto sociológico de intepretação que ofereça uma nova perspectiva de compreensão do assunto, agora sob o enfoque de temáticas específicas, tais como a de gênero, a da produção do discurso e a da ideologia na cultura. Para tanto, esta pesquisa recorre metodologicamente à teoria construcionista crítica e a seu conjunto de postulados que apontam a construção social da realidade humana a partir da ideologia e da cultura, de modo que esta realidade pode ser oportunamente desconstruída pela mesma ação humana. Contando com entrevistas com vítimas de bullying e com uma revisão de literatura comparativa entre as ideias de autores provenientes do enfoque tradicional e daqueles que comungam do pensamento construcionista crítico, esta dissertação almeja abrir espaço para que, na posteridade, áreas de conhecimento científico distintas do paradigma tradicional de interpretação do fenômeno possam se inserir nos debates e problematizações acerca da questão e, consequentemente, produzir novos olhares que pluralizem o entendimento desta forma de intimidação. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1475558 - LORE FORTES
Interno - 1164161 - IRENE ALVES DE PAIVA
Externo à Instituição - ANDRE AUGUSTO DINIZ LIRA - UFCG
Notícia cadastrada em: 11/05/2017 15:13
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao