Banca de DEFESA: FABRICIO DE SOUSA SAMPAIO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FABRICIO DE SOUSA SAMPAIO
DATA : 22/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório C do CCHLA
TÍTULO:

AS PERFORMATIVIDADES DE PAQUERA MASCULINA: ENTRE O FACEBOOK E AS FESTAS ELETRÔNICAS SOBRALENSES 


PALAVRAS-CHAVES:

Paquera. Facebook. Ritual. Performance. Festa Eletrônica.


PÁGINAS: 270
RESUMO:

A paquera é um ato seletivo, calculista e erotizado. É uma busca caracterizada por determinados rituais inter-relacionados com as intencionalidades dos sujeitos, os eixos de classificação e diferenciação dos corpos em níveis de desejabilidade e/ou paquerabilidade, a heteronormatividade e os códigos sociais de cada contexto cultural em que ela se efetiva. A etnografia nômade e concomitante realizada sobre a paquera objetivou analisar as performances de paquera entre homens nos contextos “online” do Facebook e “offline” em festas eletrônicas na cidade de Sobral, interior do Ceará, no período de 2013 a 2016. E, a partir daí, interpretar, especificamente, os marcadores sociais da paquera e suas interseccionalidades e identificar e compreender os rituais performáticos dos corpos masculinos em situação de paquera durante as festas eletrônicas e no Facebook. Na análise dos sentidos dos rituais performáticos da paquera nesses contextos, a investigação contou com entrevistas abertas de dezesseis participantes das festas eletrônicas e com diálogos e entrevistas via Messenger e whatsapp de outros doze jovens, convidados através da rede social Facebook. O conceito de performance de Richard Schechner (2003, 2010, 2011, 2012) e Erving Goffman, assim como a noção de performatividade de Judith Butler (2002, 2006, 2010, 2011), interseccionaram as reflexões sobre os rituais da paquera que, analiticamente, foram divididas em fase preparatória, desfocada e focada ou multifocada, tomando como referência as teorizações de Goffman (2009, 2010, 2011). A paquera masculina é um continuum ritualístico entre o “online” e o “offline” e se mostrou, durante a investigação social, engendrada como interseccionada por eixos de diferenciação – sexo, gênero, sexualidade, padrões estéticos, classe social ou estamento e geração –, os quais são ressignificados contextualmente através da heteronormatividade e os códigos de sociabilidade específicos que perfazem a principal constatação da etnografia. Além disso, pensar nas sociabilidades de paquera na ambiência de conectividade ininterrupta da cibercultura é partir da premissa de contextos culturais híbridos e, portanto, a consideração de que a paquera contemporânea se apresenta de forma hibridizada em que os sujeitos transitam entre os polos simétricos de interação “online” e “offline”, reiterando e subvertendo os códigos de sociabilidade específicos que estruturam cada contexto cultural.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1688114 - BERENICE ALVES DE MELO BENTO
Interno - 1352037 - EDMILSON LOPES JUNIOR
Externo ao Programa - 2313763 - ANGELA MERCEDES FACUNDO NAVIA
Externo ao Programa - 3943432 - JOSENILDO SOARES BEZERRA
Externo à Instituição - IVALDINETE DE ARAUJO DELMIRO - UEVA
Externo à Instituição - LUMA NOGUEIRA DE ANDRADE - UNILAB
Notícia cadastrada em: 26/01/2017 10:25
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao