Banca de DEFESA: BRUNO LUIZ PHILIP DE LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRUNO LUIZ PHILIP DE LIMA
DATA : 09/06/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 10 do DPP
TÍTULO:

Repensando a periferia e o urbano: as novas periferias urbanas em cidades do Agreste Potiguar


PALAVRAS-CHAVES:

Periferia urbana. Dispersão urbana. Agreste Potiguar. Cotidiano.


PÁGINAS: 229
RESUMO:

O presente trabalho estuda as novas áreas de periferia urbana nas cidades de Nova Cruz, João Câmara e Santa Cruz, no estado do Rio Grande do Norte, considerando que essas três cidades assumem uma destacada centralidade urbana em meio as demais cidades pequenas que as circundam. Embora sejam cidades com especificidades próprias, o processo de ocupação e formação do território da mesorregião Agreste Potiguar atribuiu a elas certa semelhança na função que desempenham em suas respectivas microrregiões, sobretudo através da atividade comercial e dos serviços urbanos que possuem. O surgimento de novas áreas de periferias urbanas nessas cidades está diretamente relacionado com a expansão dos serviços e da atividade comercial nas áreas centrais das mesmas. Outro elemento propulsor da expansão de inúmeros empreendimentos imobiliários que compõe essas novas áreas de periferia é o alcance do programa de financiamento habitacional Minha Casa Minha Vida, além das facilitações de obtenção de crédito bancário e da forma de pagamento parcelado dos terrenos, oferecida pelas empresas loteadoras. O que chamamos de novas periferias são as áreas localizadas fora da mancha urbana, caracteristicamente marcadas pela obtenção do terreno ou imóvel através de um processo sistematizado de comercialização – seja via programa habitacional ou diretamente com o loteador – com a presença de população de médio poder aquisitivo. Essa forma de surgimento de novas áreas de periferia difere do modelo tradicional de surgimento de moradias em áreas de periferia dessas pequenas cidades, que se dava através da ocupação ilegal de terrenos, do processo de aquisição de posse da terra, com a maciça presença de população pobre, desempregada e por vezes migrante das áreas rurais. Para melhor compreendermos a formação e os impactos socioespaciais do surgimento das novas periferias nessas cidades demos destaque as seguintes temáticas: periferia urbana; cidade e urbano; dispersão urbana; vida cotidiana; e pequenas cidades. Baseamo-nos, sobretudo nos escritos de Corrêa (1986; 1987; 2005), Bonduki e Rolnik (1979), Santos (1982;1988;1989;1999), Lefebvre (1975; 1991), Rémy e Voyé (2004), e Bruegman (2011) para discutirmos os principais apontamentos da literatura acerca dessas temáticas. Por fim lançamos mão da aplicação de pesquisa de campo nas referidas cidades, traçando uma análise das características físicas, de infraestrutura e serviços, e, da população das áreas de novas periferias identificadas, bem como investigamos as transformações recentes ocorridas no centro dessas cidades no tocante à expansão da atividade comercial e da oferta de serviços. O presente estudo das novas periferias urbanas nas cidades de Nova Cruz, João Câmara e Santa Cruz, revela a perspectiva de crescimento em curso nessas cidades, além do surgimento de novas demandas de infraestrutura para o atendimento da parcela populacional residente nessas áreas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 349714 - ADEMIR ARAUJO DA COSTA
Externo à Instituição - JOSENEY RODRIGUES DE QUEIROZ DANTAS - UERN
Externo à Instituição - MARIA CRISTINA CAVALCANTI ARAUJO - IFRN
Presidente - 6347581 - MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
Interno - 347943 - RITA DE CASSIA DA CONCEICAO GOMES
Notícia cadastrada em: 24/05/2016 09:42
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao